04 agosto 2015

Ajude o pobre Pipoco a tomar uma decisão

A ideia de ter ver morrer os posts umas horas depois de nascerem agrada-me por várias razões. Por um lado, gosto da ideia do efémero, de nada aqui ser tão importante que mereça ficar escrito na pedra. Por outro lado, revendo o que está escrito, não me orgulho de tudo. Finalmente, diverte-me esta fórmula.

Francamente, não previ que quem lê sentisse tanto a mudança e manifestasse o seu desagrado nos comentários e, principalmente, fazendo-me saber por mail a má pessoa que sou por lhes ter destruído os comentários que tão carinhosamente teceram num determinado post. Há uma parte deste blog, a maior parte, que é minha mas há uma parte do blog que é de todos, dos que comentam, dos que me habituaram à sua presença, dos que me convidam a ver as coisas de outra forma. Quisesse eu que este blog fosse só meu (e não quero) e tornava-o privado. Não é o caso, gosto muito mais de ter a companhia de todos, até os anónimos mauzões têm um cantinho no meu pequeno coração.

Dito isto, qual será a fórmula ideal? Recuperar os posts mais do meu agrado e republicá-los? Deixar publicado o que escrevo a partir de agora? Republicar tudo? Republicar o que me pediram (é incrível a quantidade de posts de que as pessoas se lembram e me pediram para enviar, é quase enternecedor).

Ah, a doce incerteza do caminho a seguir...