25 outubro 2013

Em caso de correr mal, compro o Astérix novo no festival da Amadora que começa hoje

Contrariamente a todas as pessoas disto dos blogues, nunca li Alice Munro. Títulos como "O Amor de Uma Boa Mulher", "Demasiada Felicidade", "O Progresso do Amor" ou "Amada Vida" soavam-me sempre a uma mistura de Nicholas Sparks e Michael Bublé. Hoje decidi-me, afinal quem ganha um Nobel em vez do Roth merece os meus favores. Depois de aturado trabalho de escolha acabei por me decidir pelo livro com menos páginas, afinal se a coisa não valer a pena o prejuízo de tempo é menor (a quem possa interessar, os livros de Munro têm entre 257 e 265 páginas). Vamos lá ver se isto de "O Amor de Uma Boa Mulher" se deixa ler ou não.

13 comentários:

  1. Anónimo25.10.13

    São todos livros de contos. As páginas neste caso da Alice não contam assim tanto.

    ResponderEliminar
  2. Ainda não li a Nobel, mas o Asterix é de valor, sempre foi
    (Este é made in Copicat, mas gosta-se na mesma)

    ResponderEliminar
  3. Peço que depois de chegar a uma conclusão nos diga de sua justiça, também nunca li Alice Munro.

    Tio Pipoco eu gosto de Michael Bublé, não me condene, o tio sabe, não se pode ser perfeito.

    ResponderEliminar
  4. Beatriz25.10.13

    Li um livro só da autora. Não gostei nem desgostei.
    Não me encheu as medidas. E concordo, os títulos dos livros soam a uma mistura de qualquer coisa não muito boa.

    ResponderEliminar
  5. Toc... toc... posso entrar? Obrigada, e obrigada também por me tirar um peso de cima. Sentia-me uma espécie de info-munro-excluída. Nunca Li Alice Munro. Na altura em que saiu a notícia do prémio Nobel, por quase toda a blogolândia se falou do assunto. Uma pessoa pensa de imediato: que raio, já toda gente leu a senhora menos eu... tenho de me actualizar rapidamente para me livrar do rótulo de info qualquer coisa.

    "acabei por me decidir pelo livro com menos páginas, afinal se a coisa não valer a pena o prejuízo de tempo é menor", nunca tinha pensado nisto e faz sentido. Costumo usar a receita do 'menos' quando compro comida, outro género de produto que desconheça. Se não correr bem, não é grave. Para livros, hummm, está bem visto sim senhor... autor tal, livro tal, número de páginas tal (eheheh).

    ResponderEliminar
  6. Encontram-se contos na net. Era pedir ao RP (sempre é uma coisa mais do "povo") para mexer no pc e encontrar um ou dois, e poupava tudo: tempo e dinheiro!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo25.10.13

    Anda por aí fogo em torno deste assunto...
    http://www.orgialiteraria.org/index.html

    Ana

    ResponderEliminar
  8. devia vir aos green project awards...ou enviar o Ruben Patrick para o representar...pelo sim pelo não...sempre é "green" em vez de encarnado (ou vermelho...dependendo de quem venha.) :)

    Alice nunca li...mas daí a ser melhor que Roth...tenho as minhas dúvidas.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo25.10.13

    Eu estou a ler "Anita vai a Luanda...Pedir Desculpa"

    ResponderEliminar
  10. "A persistência da memória" é um título muito mais sóbrio e masculino... pense nisso.

    ResponderEliminar
  11. o nobél, sempre tão fashionable, candeia que lança luz sob a obscuridade, coisa de grande valor já atribuída a gigantes da nossa era como o sr obama. para levar a sério portanto, tão excelso marketing.
    enfim num mundo que tem a opera como guia de leitura talvez até seja o menor dos males...

    ps logo que tenha tempo clarificarei os eventos decorridos no colombo, aquela orgia da pipoca ...

    ResponderEliminar
  12. Não acho nada mal que leia Munro e que compre o Astérix. Como é que se debate algo que não se conhece? Tenho para mim que Dom Pipoco é pessoa que aprecia um bom debate. ...ou tertúlia.

    ResponderEliminar