16 setembro 2013

Tão tarde para estas coisas do que nos move nos blogs

Era para reflectir longa maduramente sobre a probemática de ser o amor ou o interesse as únicas forças a mover-nos nisto de ter um blog mas meteu-se nos meus planos uma inopinada necessidade de me deslocar durante o dia de hoje a uma capital europeia e a coisa só se pôde dar a estas desoras, uma maçada e um prejuízo para as visualizações do dia.

A verdade é que o que me move nisto dos blogs e em outras coisas menores da vida é o gozo, o puro gozo, o gozo na sua forma mais básica sem aditivos que o descaracterizem, só gozo e nada mais que gozo. E, em um homem tendo gozo no que faz, acontece então um alinhamento de situações, astros e assim, que alavanca o universo de forma a que os leitores se multipliquem, que a boa-nova passe de boca em boca, "Já espreitaste hoje aquilo do Pipoco? Genial, não é?...", que, enfim, surja o comentário inteligente, a percepção pelo receptor do que está dito sem estar escrito, o contraditório, a crítica, a desmontagem do argumentário, a delícia de nos batermos como iguais.

O dinheiro e o interesse, para além de não terem tanta piada, maçam muito mais que o gozo. O dinheiro é só para alguns, os tipos que mandam nessa situação de dar dinheiro a quem escreve em blogs, parecendo que não, não são tontos. Mesmo eu, que sou eu, não desperto interesse, não revelo potencial para o campeonato de escrever coisas em parceria com o novo detergente para louça que não desidrata as mãos, o dinheiro como força motriz de um blog bafeja um em cada dez mil.

Era isto. Amanhã, em me apetecendo, estou capaz de falar das vantagens de nos olharmos nos olhos enquanto conversamos, de conduzir o discurso do outro com o olhar, de os olhos poderem tudo. Ou então não, sabe-se lá...

(e reparem que não quis incomodar as pessoas, se quissesse falava sobre o poder enquanto motivação mas ninguém is perceber a mecânica da coisa)

5 comentários:

  1. Eu diria que talvez houvesse quem percebesse a mecânica (e se calhar até a fisiologia) do poder enquanto motor desta motivação. Já que se fala em mecânica, este motor parece uma metáfora assaz plausível -- de todas, aliás, uma das mais convicentes. Mas esta é apenas a modesta opinião de observador remoto dos fenómenos da blogoesfera.

    Boa noite, caro PMS.

    ResponderEliminar
  2. Por conseguinte, O Interesse. O Interesse no Gozo.
    qed
    (não a electro-coisa-quântica, a outra qed dos antigos)

    Quanto ao Poder não me posso pronunciar. Estando a atravessar um longo período de hibernação digital, não tenho memória de tal coisa enquanto blogger. Excepto aquele poder hemi-presidencialista de dissolver o burgo e o futebolístico de expulsar jogadores travessos.

    ResponderEliminar
  3. Sei que existe mas não entendo isso da sede de poder. Muito menos de poder sobre um bando de imbecis. Um dia destes em tendo vagar explique lá isso aqui à quarta classe atrasada.

    ("o comentário inteligente, a percepção pelo receptor do que está dito sem estar escrito, o contraditório, a crítica, a desmontagem do argumentário, a delícia de nos batermos como iguais" implicam troca, dá-se e ganha-se. Não se consegue fazer isso com uma horda de imbecis. O que faltava no meu post é o que se ganha e o que se aprende com os outros, schhhh não diga nada a ninguém)

    ResponderEliminar
  4. E eu, que sou eu, gostei tanto deste post, que fiquei aqui parada, à espera das centenas de comentários...
    (é por demais evidente que não domino isso do poder e dos blogs...)

    ResponderEliminar
  5. Ainda estou à espera do post sobre olhar os outros nos olhos. É que já tenho o meu comentário pronto, diga lá o que o Tio Pipoco disser, e é uma pena vê-lo ali, na folha de Word onde corrijo os meus erros quase todos, sem o poder mostrar ao mundo. Só para lhe aguçar o apetite, deixo aqui o título: "Comentário ao Post de Tio Pipoco Sobre Olhar os Outros nos Olhos Enquanto se Fala com Eles".

    ResponderEliminar