30 outubro 2010

Das coisas serem como são

E lá estava ela, a dizer-me coisas, e lá estava eu, a olhar para os olhos dela e para as mãos dela e para a forma como ela colocava o corpo, ela a dizer-me coisas e eu a ouvir outras coisas, que não eram as que ela me estava a dizer.

As mulheres, para eu acreditar em tudo o que me dizem, haviam de trabalhar melhor a expressão corporal.

9 comentários:

  1. Hás-de conseguir o efeito pretendido com uma malabarista de circo.

    ResponderEliminar
  2. os homens é que são demasiado sensíveis. e pouco flexíveis, não conseguem estar atentos a duas coisas ao mesmo tempo ! :)

    ResponderEliminar
  3. olha que os olhos enganam :)

    ResponderEliminar
  4. Uma chatice isso do corpo. Já só se pode mentrir ao telefone.

    ResponderEliminar
  5. Caríssimo Pipoco,
    tanta PNL dá cabo de qualquer serendipismo.

    ResponderEliminar
  6. Pois eu acho que é o contrário. As mulheres deviam era trabalhar melhor a voz. São demasiado expressivas e é sempre isso que as trai. Se conseguissem nivelar a voz no grau zero, a expressão corporal serviria apenas para baralhar os homens.

    Mas isto é apenas a opinião de alguém gelado...

    ResponderEliminar
  7. O Pipoco "ouviu" exactamente o que ela quis que o Pipoco "ouvisse".

    Passou-lhe a bola com uma pinta do caraças.

    (essa tentativa de ingenuidade fica-lhe mal)

    ResponderEliminar
  8. Mas é a partir da expressão corporal que damos a entender o maior parte do que queremos dizer :)

    ResponderEliminar
  9. Oi? Como é que é mesmo isso?

    ResponderEliminar