19 maio 2020

Ficai sabendo

Por cada vez que se diz "novo normal" ou "stay safe", um panda bebé cai de uma falésia no Alasca e não falece imediatamente, ficando em sofrimento atroz até ser abatido por um tiro de carabina Winchester.

4 comentários:

  1. Não por culpa minha, fique Mr. Pipoco sabendo.
    Nem em pensamento eu acredito em tal coisa, quanto mais...

    Tenha um bom dia.

    ResponderEliminar
  2. Então e da tristeza pelos milhares de andorinhas-golfinho
    que se finam em agonia incomensurável de cada vez que as annes frankes das quarentenas resolvem editar mais uma página em seus indispensáveis diários, ninguém fala? Está mal.

    ResponderEliminar
  3. Não é sem um cínico sorriso que penso nos "neologismos" que infestaram o discurso político, a comunicação social mais patética, o comentador de via pública, e que são tão deselegantemente "desadequados" quanto "despróprios":

    - Vai ficar tudo bem.
    - O novo normal.
    - Vamos abraçar portugal.
    - O povo unido...
    , as minhas desculpas, escapou-se-me.
    - Impactante, disruptivo, expectável.
    - O achatamento da p*** da curva.


    É óbvio ser expectável que, após abraçar Portugal, tudo vai ficar bem com as novas vacinas e terapias genéticas mais impactantes no maldito disruptivo vírus (vulgo "bicho"), que estarão preparadas já daqui a um ou dois anos, e que o povo unido a abraçar-se é a melhor maneira de atingir a mítica imunidade de grupo. Munidos de martelos e foices nenhuma curva escapará, nem bovino, nem caprino (é fugir com cães, gatos e coelhos).

    Costa e Marcelo sabem isto, por isso andam tão felizes. Centeno também. Até Cabrita sabe. Também sabem bem o que se passa no Novo Banco, embora façam de conta que não sabem. E agora também nós sabemos. E eles sabem que sabemos.

    É este o caminho, camaradas.
    Até à vitória final! (sobre o patronato)

    Talvez já haja comprimidos para isto. Xanax Xr 2mg quatro vezes ao dia funciona muito bem comigo.

    Abraço, caro Pips.

    Espero encontrá-lo na longa fila da loja da Zara, café numa mão, pastel de nata na outra, e dar-lhe um impactante abraço quebra ossos, embora o Q. esteja relutante em relação às saídas aqui do compound sem máscaras P3 e subsídio de risco (Mário Nogueira não nos ouça).

    ResponderEliminar
  4. Anónimo19.5.20

    Credo tio, que analogia tao tonta (violenta)
    Vw

    ResponderEliminar