24 abril 2018

E andamos nisto

Voltasse ela, Ruben Patrick, entrasse ela por aquela porta agora, teria meia hora para mudar a tua vida, e constatarias que ela era outra pessoa, havia de cheirar a outra coisa que não aquilo que te lembras, não saberias onde foi ela arranjar aquele pequeno corte no dedo mindinho, não reconhecerias o modelo de telemóvel que ela tem agora, perguntar-te-ias por que lia ela agora Lobo Antunes, estranharias a nova cor do cabelo e ela desabotoar agora os dois botões cimeiros da camisa.

Elas, ao contrário de nós, mudam demasiado.

8 comentários:

  1. Cláudia Filipa25.4.18

    Pipoco, peço, desde já, perdão, por vir perturbar esta sua cogitação amorosa, mas, diga-me? É verdade? Finalmente deixou de lado essa rejeição, essa resistência (posso dizer assim?), para mim, incompreensível, em relação à Música Brasileira? Ou isto é só um falso alarme?
    Confesso-lhe, quando, pela primeira vez, lá desse seu jeito, (há uma letra que diz "desse seu jeito estúpido de ser", mas eu não vou escrever isto, Pipoco, mesmo que seja só a pretender ter muita graça e assim, e, depois, pedir novamente perdão, ai não vou, não), li-o, creio que, num post (ou numa resposta) daqueles que andei a ler, do tempo em que eu ainda não lia blogues, li-o a dizer, que, Música Brasileira é que não, não ouvia, pensei, como era possível?
    Fiquei tão surpreendida, que não me esqueci disso, é que, eles têm com cada compositor, músicas e letras que são fabulosas, letras que são poemas, olhe, com esta abertura dos novos tempos, poemas que seriam dignos de um Nobel.

    Oh! Ela a entrar, Lobo Antunes debaixo do braço, e, por momentos, estarrecida, porém, extasiada, estremece, em vez de Bach, "entre por essa porta agora..."

    Um excelente feriado, Pipoco.
    Até já.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me lembrei logo do "Vambora" da Adriana Calcanhotto.

      Eliminar
  2. Anónimo25.4.18

    sois lindos!!!!
    http://starsmythicalcreatures.blogspot.pt/2017/10/vambora.html#comment-form

    ResponderEliminar
  3. Rubinho, o tio foi ver a Calcanhoto?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo25.4.18

    ao que parece, "ela" mudou para melhor.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo25.4.18

    Renascer é bom.
    Será mesmo um telemóvel?
    sc

    ResponderEliminar
  6. Ah, a natureza lúbrica da tese da mulher camaleão. O Tio, o Ruben, a Mulher...

    Sempre apreciei triunviratos, embora me pareça que está aí uma mulher a menos.

    E, caro Pipoco, irmão, mulher é cobra né? Não é camaleão não!

    ResponderEliminar