24 fevereiro 2017

Ontem ao almoço

Ela chegou a horas ao restaurante, que era perfeito o que ali nos trazia, vestia o vestido perfeito, razoavelmente decotado, de um desses criadores novos, disse as palavras perfeitas para a ocasião, incluíndo "Agile" e "Digital", deu-me as deixas perfeitas para eu colocar as perguntas inteligentes perfeitas, teve o timing perfeito na introdução das temáticas "qualidade da neve nos Alpes prevista para a próxima semana" e "último livro do Valter Hugo Mãe".

Eu fiquei o tempo todo a reparar na quase imperceptível marca de batom vermelho numa zona impossível de os lábios dela alcançarem.

23 comentários:

  1. Lady Kina24.2.17

    Tenho a impressão de que o meu amigo percebe tanto de batons como eu... ó homem, isso eram ainda vestígios do DIY para a concepção do disfarce da Mironinho!

    ResponderEliminar
  2. Foi por causa do VHM, de certeza que foi isso.

    ResponderEliminar
  3. Ohhhhhhhhhhhhhh
    afinal,
    havia outra...........o que não impediu que a perfeição se mantivesse. Impediu?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo24.2.17

    Era tão perfeita que não gostava de homens. Gargalhada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo25.2.17

      Hahahahahah muito bem!

      Eliminar
    2. Ou não. Quem sabe gostaria dos dois?

      Eliminar
  5. isso pode ser o princípio de uma belíssima amizade, digo eu :p

    ResponderEliminar
  6. Ah, meu caro, não se precipite. Bem sei que quando ouvimos certas coisas as nossas mentes revolvem-se na sua tranquilidade natural, ouvimos sirenes e começamos a ver tudo em tons encarnados, ou esverdeados, os nossos filtros auditivos no máximo da atenuação, a bela dama a ficar pequenina, o nosso oscarzinho também, mas repare que o erro pode ser nosso, a bela dama poderia estar a descrever os delicados matizes da chama do livro na lareira, e nós, imersos no nosso preconceito, fechados nas defesas reactivas da nossa mente, teríamos acabado de perder a Mulher da nossa vida.

    ResponderEliminar
  7. Esclareço, penso, o labirinto simbólico da prosa de sibila de D. Pipoco de Albuquerque.

    D. Pipoco preza acima de todas as coisas mundanas a elevação linguística.

    A narrativa mostra que apesar da subtil insinuação de a nobre dama se ter feito acompanhar por uma amiga com o objectivo de proporcionar uma noite, ou tarde - há que seja mais vespertino que nocturno -, de luxúria, D. Pipoco prefere sempre, mesmo quando pratica O Amor, a beleza da Poesia.

    Tivesse a doce dama mencionado Pound...

    Passa-se o mesmo com a minha pessoa.
    Basta a minha melhor metade referir que quer comprar um livro do José... e logo todos os meus sentidos entram em pânico, esse manto de isolamento, sudorese, taquicardia, obnubilação... E afinal era só um Saramago.

    D. Pipoco, tal como a minha pessoa, imagino, faz O Amor num tantra de poesia, recitando qualquer coisa de grande proveito.

    No meu caso, Milton seguido do hino (Nacional) lá para o final tem excelentes resultados (omito sempre aquela parte dos Avós, por pudor, e como é óbvio substituo os "canhões" pelo "bacamarte").

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo26.2.17

      ..."o Hino Nacional" lá para o final"... Credo!!
      Não seria melhor a 'Marsellesa'?

      Aux armes, citoyens
      Formez vos bataillons
      Marchons, marchons!
      Qu'un sang impur
      Abreuve nos sillons!

      Eliminar
  8. Ora, ora, essa marca pode ter sido fruto do acaso... Nada de pensar em coisas erradas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... errr... erradas?

      Eliminar
    2. Lady Kina25.2.17

      Vamos lá: eu sou ganda fufa, tenho uma marca de batom no pescoço porque a minha amante amada lá me chupou. Quando alguém pensa que aquilo são vestígios de aguarela, que eu também pinto umas coisas, essa pessoa pensou uma coisa errada, certo?

      Eliminar
    3. Ahhhh... muito mais esclarecida...

      Eliminar
    4. :DDDDDDD
      Pescoço? Chupão? Amantes?

      Eliminar
    5. Lady Kina26.2.17

      Pronto!...

      (:DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD )

      Eliminar
    6. Kina, f....?!!!! (Comunidade LGBT em fúria em 3,2,1). Não tarda nada está aqui o Pipoco a dizer "minhas senhoras, então?".

      Eliminar
    7. Anónimo26.2.17

      blogue que perdeu o interesse este

      Eliminar
    8. Está a ver, Pipoco? Não põe ordem na casa, já se sabe...

      Eliminar
  9. Baton vermelho é como chocolate, deixa sempre rasto depois de se comer...

    ResponderEliminar
  10. Anónimo11.3.17

    Parece que tenho de ser eu a descrever um retrato menos porcalhota do que o que aqui pintaram. Oh, minhas aventesmas! não podia ser simplesmente um abraço e beijo de uma criança que estivesse a brincar com o batom da mulher? P*fffttt

    Ah, claro, esperem, já vão dizer "credokhorrorcriançaspenduradasaopescoço,nãaaaooo..."

    A sério?! Much ado about nothing.

    ResponderEliminar