11 outubro 2015

Também podia escrever sobre a chuva que esteve hoje

Tac tac tac, fez a faca grande cortando os cogumelos, a precisão do corte, o aço a quase encontrar o granito polido da mesa de cozinha, os cogumelos laminados, quase carpaccio, acamando-se, Bach assenta-lhe tão bem, é domingo e a casa está quieta, Bach e a faca, lembra-se do jogo de xadrez que ficou por acabar com o Paraguaio ontem à noite, são sete e vinte e dois em Portugal Continental e ele sabe bem que horas são em Assuncion, cheira a lenha queimada, ontem foi noite de queimar lenha e beber um Porto Vintage e ler Borges, foi por isso que se distraiu e perdeu um cavalo para o Paraguaio, que certamente estava mais concentrado no jogo, as coisas assim são justas, tem vantagem quem não tira os olhos do jogo, são sete e meia, acalmasse a chuva e ia correr, Bach e a chuva a cair lá fora, o vento e o cheiro a terra molhada, sabe bem de onde lhe vem a memória do cheiro de terra molhada, terra molhada e lenha a arder, o cão salta, desalmado, sabe bem o significa ele estar de ténis amarelos, passa a mão nas alfazemas, o prazer de cheirar as mãos que cheiravam a cão molhado e agora cheiram a alfazema, medita junto ao rio, dez minutos, a chuva e o suor e o cão e o rio e a respiração controlada, são dez da manhã e faz café, os cheiros, outra vez os cheiros, a casa começa a acordar, agora é ele que tem vantagem, três horas de vantagem por dia, faz de conta que esteve sempre ali, agarrado a Borges, agora já sem Bach, que sim, que dormiu bem, dorme sempre bem, e os cogumelos e o pão ainda quente e o dia que passa a correr, quatrocentos quilómetros depois e está outra vez em casa, escreve um post e pensa no que realmente importa: como se portarão as acções do BCP esta semana?

14 comentários:

  1. Anónimo11.10.15

    Boa noite tio, que é como quem diz, como receberão as bolsas a conversa que irá ocorrer amanhã?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo11.10.15

    Borges deve estar mesmo na moda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Borges é fofinho, foi para contrabalançar o aço da faca e a brutalidade do granito. Não resultou?

      Eliminar
    2. Borges é fofinho, foi para contrabalançar o aço da faca e a brutalidade do granito. Não resultou?

      Eliminar
    3. Peço desde já desculpa pelo comentário à resposta ao comentário. Fofinho, fofinho, bem, tem alturas: «Entonces, Borges, volví a sacar el cuchillo corto y filoso que yo sabía cargar aquí, en el chaleco, junto al sobaco izquierdo, y le pegué otra revisada despacio, y estaba como nuevo, inocente, y no quedaba ni un rastrito de sangre.» (in Hombre de la Esquina Rosada)

      Eliminar
    4. Esse foi o primeiro, meu caro Xilre. Veja agora o último, uma ode à doçura.

      Eliminar
  3. Lady Kina11.10.15

    Pipoco, inventaram há uns tempos, ainda antes do BCP, um utensílio chamado tábua de cozinha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lady Kina, achei que a musicalidade do post ficava mais apurada com aquilo do corte directo em cima da bancada, para além de soar bastante mais machão. Não lhe pareceu?

      Eliminar
    2. Anónimo12.10.15

      Lady Kina, e como é que íamos saber do granito polido da mesa da cozinha ??

      Eliminar
  4. O que vai mesmo bem com chuva é Plutarco! Especialmente na hora da sesta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está a confundir Plutarco com scones...

      Eliminar
    2. Oh, é tudo a mesma coisa.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Anónimo12.10.15

      ah ah ah era mesmo isso q ía escrever!

      Eliminar