15 setembro 2014

Post em tempo real

Era um desses hotéis com um número de estrelas superior a quatro e inferior a seis (Pipoco esforça-se para não ser demasiado pedante) e, talvez influenciado por Pipoco se apresentar fora de horas, sem reserva e com ar visivelmente carente de cama (Pipoco, esse eterno apaixonado dos duplos sentidos), pretende cobrar a tarifa de balcão, um exagero.

Pipoco respira fundo e incentiva o recepcionista a praticar um preço de mercado (Pipoco, esse incorrigível negociador de consensos). Sem resultado.

Pipoco respira fundo e desvia-se para um dos lados do balcão, dando passagem a duas jovens que estavam atrás de si na fila. Pipoco tira do bolso o seu banalíssimo smartphone (Pipoco, esse farol do espartano). Pipoco digita um endereço electrónico e, em três passos, reserva quarto no hotel para essa noite, a metade do preço de balcão (Pipoco esse negacionista das causas perdidas). Pipoco vai até ao bar e pede uma bebida, enquanto aguarda confirmação da reserva. Cinco minutos depois, Pipoco, talvez demasiado sorridente, dirige-se ao balcão e informa o recepcionista do número da sua reserva para essa noite.

Pipoco acreditava que já não havia hotéis assim, dos que preferem perder cem euros e pagar uma comissão ao broker, em vez de fazer um desconto de cinquenta euros ao Cliente e fazê-lo feliz e agradecido.

20 comentários:

  1. É incrível, sim, tal como acontece com as operadoras aéreas que também vendem sempre bilhetes muito mais caros que os disponíveis nos sites de viagens para os mesmos voos.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15.9.14

    Pipoco, esse Xico esperto tuguinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipoco, esse conhecedor do facto de o dinheiro ser um bem escasso, esse administrador do conhecimento, esse eterno insatisfeito quando as com o rumo que as coisas tomam quando não são como têm que ser...

      Eliminar
    2. Anónimo15.9.14

      Creio que há aqui uma baralhadazita na frase, coisa sem importância, obviamente.
      Mas as coisas não são como são ? ou afinal são como têm que ser ? nuances....

      Eliminar
  3. Anónimo15.9.14

    Já fiz isso, ridículo, mas sim, continua a existir. Ainda não percebi se são as recepcionistas que são tolas, se é o "patrão" que é burro mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22.9.14

      Trabalho em hotelaria e muitas vezes estas situações têm a ver com o recepcionista que, ou não tem, de facto, jeito para negociações e depende sempre das chefias (podiam já não se encontrar no hotel na altura em que Pipoco chegou), ou não têm conhecimento do negócio. Existem diversas situações.. Aliás, todos os dias existe algum recepcionista que não consegue conceber a ideia do que custa pagar uma comissão de 20 ou + % à booking ao invés de informar o cliente de que poderiam acompanhar a oferta da booking. Simples como isso.

      Ah, e não existem só recepcionistAS tolAS! Também existem muitos tolOS.

      Eliminar
  4. Oh mas há... se há. Não deverá culpar, porém, o pobre recepcionista. Que coitado, acata ordens.... e haverá lá coisa mais apaziguadora de almas intranquilas, que acatar ordens...

    ResponderEliminar
  5. gostava de ter visto a cara do gajo

    ResponderEliminar
  6. é o chamado "ora toma que já almoçaste"!

    ResponderEliminar
  7. É ridículo estas coisas terem de acontecer, mas também já tive de fazer isso.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo15.9.14

    Tio Salgado, O Sr. é o meu heroi. Quando eu for grande queria ser assim.:)
    Beijinhos, VW

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15.9.14

      Com o Tio por herói nunca vai ficar grande.
      Eu disse isto ? aaaaaahhhhhhhhhh

      Eliminar
  9. Regozijo de ver que Pipoco, entidade superior da blogosfera, pensa fora da caixa -vulgo "desenrasca-se como nós"- nestas vicissitudes da vida (ressalva para as devidas diferenças estelares).
    Arrepio na espinha cada vez que o Pipoco desce da exactidão matemática, e se auto-intitula de "eterno apaixonado".

    ResponderEliminar
  10. Anónimo15.9.14

    Congratulo-me vivamente saber que não sou espécie única que se equilibra no que tem mais à mão, sem necssidade do triângulo equilibrador.
    Ufa! Já desesperava por ver alguém igual, ou pelo menos, parecido.
    Corvo.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo15.9.14

    Quem está na receção nem sempre tem autorização para modificar o valor a cobrar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo22.9.14

      Entre acompanhar o preço da Booking e perder comissão para a mesma... Não têm a ver com autorização. Tem a ver com bom senso e com um espírito de "Não me venhas chatear, vai pra outro hotel"

      Eliminar
  12. Anónimo16.9.14

    LOLOL...tb eu já fiz uma dessas!....ai a cara do recepcionista!!!!.......uiii!, só visto!!!

    ResponderEliminar
  13. Excelente, e uma delícia de se ler.
    Imagino esta minha actual falta de tolerância a pedir o livro de reclamações nessas circunstâncias. Inconsequente bem sei excepto no aspecto de aborrecer algum responsável com a obrigatória redacção de uma qualquer desmiolada justificação.
    Abraço meu caro. Excelente post.

    ResponderEliminar
  14. Sr Pipoco, como dizer isto sem retirar arte ao que fez... err... ora bem, aqui vai disto: tornou-se banalíssimo fazer isso, de chegar ao ponto de ter sido a própria recepcionista de um hotelzinho ( aí, mais de duas estrelas, menos de quatro ) em Veneza, a insinuar, quase recomendar! a um casal de amigos meus, que fizessem a reserva via net à frente dela, precisamente porque eles perguntaram por preços mais baratos. Os hotéis devem estar fartos de saber e o recepcionista não morre de fome. No seu caso, o hotel não teve que fazer o tal "desconto de cinquenta euros para o fazer feliz e agradecido" porque o Pipoco é que insistiu em ficar cliente. O seu sorriso foi grande mas o sorriso interior do recepcionista deve ter sido maior.

    ResponderEliminar