21 outubro 2013

Post para dois comentários (sim, o estudo sociológico mais sério da blogosfera está de volta...)

Volto do sítio onde joguei à bola na rua a pensar que será feito do tipo da loja das bicicletas, que agora é um armazém de coisas, que a filha do tipo da mercearia envelheceu mal e isso é uma pena, uma enorme pena, que fico contente por o tipo do café, apesar de terem passado vinte quilos, ainda me reconhecer, apesar do "olha-me este!", efeito da gravata Hermés, as coisas são como são, venho a pensar, janelas abertas apesar da chuva e rádio na Smooth, que será feito do tipo com quem trocava revistas do Homem-Aranha, encontrei-o há uns anos num sítio mau e pediu-me dois euros, os dentes estragados não enganam, que será feito do badocha que se chamava Jacinto, as coisas quando são más vêm aos pares, que só eu defendia, não sei se seria porque o tipo jogava xadrez melhor que eu ou se era mesmo altruísmo, que será feito do cigano Júlio, ficámos amigos depois de uma sucessão de enxertos de porrada mútuos, volto a pensar que é bom ter tido um sítio onde se jogava à bola na rua.

7 comentários:

  1. nem sequer li o texto, quero lá agora saber que o Julio cigano lhe batia! estou apenas a comentar por costuma ter escassez de comentário e nao quero que o estudo saia furado.

    bom dia, Sir.

    ResponderEliminar
  2. Numa viagem, a 'casa', as recordações substituem a paisagem...

    ResponderEliminar
  3. 20 quilos depois, tudo fica sempre diferente. Toda a gente teve o seu share de lojistas, badochas e ciganos e não é incomum pensar na infância. O que me espanta e me custa perguntar, é o que andaria nosso Senhor a fazer num "sítio mau", e que aproveito para pedir que defina sítio mau, porque para mim o único sítio verdadeiramente mau, é aquele que nos recebe para a eternidade e de onde não podemos sair.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo21.10.13

    Eu li o texto, e achei-o triste. Mas o que me intrigou é por que razão se dizia que não se aceitavam mais comentários....Curiosidade(s).

    ResponderEliminar
  5. Ajudava-o porque não é fácil encontrar um bom par para o xadrez.

    ResponderEliminar
  6. Quer ver que eramos vizinhos?!

    ResponderEliminar
  7. é o crescendo desse suave murmúrio da idade até ao inesperado fragor da velhice. devir. devir-se.

    as minhas desculpas. penso não ter compreendido.
    o meu amigo levou um enxerto, até ver tudo ao xadrez, de um badocha cigano com mais 20 quilos (e meio metro) a caminho do armazém onde se ia encontrar com a bela filha do merceeiro para ler livros do homem aranha e andar de bicicleta???
    como é que termina esta narrativa?

    o homem aranha??? sinceramente amigo Salgado... e eu a pensar que ocasionalmente sou acometido por estranhos fetiches (não é consigo Palavras, sempre com muito respeito, e prometo deitar as revistas, os dvds e os brinquedos ao lixo... todos)...

    ResponderEliminar