28 março 2013

Vou explicar-te devagarinho, para não doer. Com parágrafos, para se perceber melhor

A principal coisa que tens que saber da vida é que tudo se resume a ir do ponto onde estás até ao ponto onde queres ir e há obstáculos pelo meio. Seja na profissão, seja nisso dos amores, seja até no que se quer de um blog, nada é mais que um ponto de partida, um ponto de chegada e obstáculos pelo meio.

A primeira coisa que tens que saber é onde estás. Às vezes é doloroso perceber onde estás, é preferível não saber quão desagradável é o ponto onde estás. Dói menos não querer saber. O problema é que, não sabendo onde estás, raramente chegas onde queres ir.

A segunda coisa, percebendo onde estás, é ter consciência dos obstáculos que tens que ultrapassar para chegar lá onde queres chegar. Os obstáculos são divertidos, por um lado não foste quem quem lá os colocou, por outro lado só tu os podes eliminar. Porque não foste tu quem colocou os obstáculos no caminho, tens aqui uma boa desculpa para ficar onde estás, para te desculpares por não chegar lá, onde queres chegar. A culpa é dos outros, que lá colocaram os obstáculos e isso conforta-te, dá-te uma boa razão para ficar onde estás, onde quer quer isso seja. Podes fazer de conta que queres eliminar o obstáculo, medindo-o, tomar consciência da sua textura, avaliando matematicamente a probabilidade de o retirar mas só te servirá para perder tempo no caminho para o sítio onde queres estar. A única coisa que conta é ultrapassá-lo, podes encolher removê-lo, contorná-lo, exterminá-lo, só chegas ao ponto onde queres estar se ultrapassares o obstáculo.

A terceira coisa importante é saberes exactamente onde queres chegar. Sabes?

26 comentários:

  1. Respostas
    1. [dou por mim a querer vir aqui, mesmo sabendo que não há novo post, só para apreciar aquele cabeçalho :b... Grande Alexandra!]

      Eliminar
  2. Aiéeee!! Grande Pipoco!!
    Poucas palavras e grande explicação!!
    Estava a ler o texto e a pensar: era um bom texto para ter apresentado na cerimónia do casamento. Agora a falar muito a sério. Está genial!

    Parabéns!!
    Gosto mesmo do que escreves!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz, nos casamentos é de bom tom ler Génesis, eventualmente uma das cartas de S. Paulo aos Coríntios embora eu tenha uma especial predilecção pela Leitura do Livro de Ben-Sirá ("Feliz o homem que tem uma mulher virtuosa, porque será dobrado o número dos seus dias...").

      Agora, Leitura de S. Mais Salgado aos Pipoqueanos?...

      Eliminar
    2. Temos de ir com as modas Pipoco! ;)

      Eliminar
  3. eu diria que a primeira, aliás, a única coisa é saber onde queres ir, onde queres chegar. (que não sei) até lá, descobre.

    ResponderEliminar
  4. DN, também é relevante sabermos onde estamos. Pode dar-se o caso de não queremos ir além do ponto onde estamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. és capaz de ter razão :)
      em todo o caso, just enjoy the ride.
      beijo, PMS

      Eliminar
  5. Pipoco, a licença sabática fez-lhe bem!
    Muito motivacionais que estamos!
    A parte mais difícil parece-me a de saber onde queremos chegar. Os obstáculos dependem de onde queremos chegar. Se for chegar só ali ao tasco da esquina, não serão muitos, mas se for um pouco mais longe, aí a coisa muda de figura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bomboca, o mais difícil de aceitar é perceber exactamente onde estamos. Se não o soubermos, pode dar-se o caso de desejarmos chegar ao tasco da esquina e enganarmo-nos no caminho.

      Eliminar
  6. Bomboca, a mim parece-me MT mais excitante vencer os obstáculos hora a hora, dia a dia, e olhe que não me tenho dado nada mal, tenho vivido em plena adrenalina.

    Pipoco, não é no texto que está a surpresa, é no que se "lê" no header, dê os parabéns à sua amiga Alexandra, ela conhece-o bem.

    SANTA PÁSCOA (fujam dos comentadores ex-politicos)

    ResponderEliminar
  7. Em sabendo onde estás e se fores um homem, só cuidarás de chegar lá onde queres dinamitando o mais rapidamente possível os obstáculos que se atravessarem no caminho. Já se fores uma mulher, apreciarás os teus obstáculos, falarás com eles e sobre eles, falarás muito sobre eles com as tuas amigas, repetirás em discurso directo as conversas que com eles tiveste, dar-lhes-ás a devida importância e viverás os teus obstáculos como se cada um fosse o primeiro e o último, cuidarás bem deles e poderás até fazer-lhes uma bonita decoração para ficarem mais confortáveis. No fundo os obstáculos são teus e há que apreciar as nossas coisas. É que, às vezes, o caminho também é importante…

    ResponderEliminar
  8. Palmier, permita-me discordar. O caminho é importante, sim, mas não tão importante como o ponto de chegada. Até porque lá, no ponto de chegada, há outro caminho a percorrer e, isso sim, é que é importante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto Tio Pipoco. É evidente que o importante é chegar lá. Só me parece é que a forma de lá chegar difere muito quando o sujeito da acção é um homem ou uma mulher, já que os obstáculos são olhados de forma substancialmente diferente por uns e por outros. No fundo, é como uma viagem de Lamborghini. Os homens vão concentrados na condução a acelerar para fazer uma boa média, as mulheres vão a 120 km/h e aproveitam para ir vendo a paisagem.
      É que, lá está… nós conseguimos fazer duas coisas ao mesmo tempo :)

      Eliminar
  9. A questão central é: " quem chega primeiro bebe água limpa". Isto em querendo-se ir, claro.

    ResponderEliminar
  10. Todos temos objectivos delineados , guiões pelos quais pautamos a nossa conduta, meios para atingir os fins a que nos propusemos.Obstáculos nascem a cada minuto, reais ou imaginários, aprendemo-los e seguimos o nosso caminho, quantas vezes com grandes desvios, mas as coisas são como são... medo é que, ao conseguir alcançar a meta, esta não corresponda às expectativas

    ResponderEliminar
  11. Sim, a primeira coisa a saber/reconhecer é "onde estás" e mais do que saber exactamente para "onde vais" tens de saber/reconhecer que "onde estás"é que não queres estar mais; depois é aceitar de bom grado, e até com entusiasmo, que para saires dali vais enfrentar obstáculos e fazer o mapa da viagem até ao ponto onde gostarias de chegar!

    ResponderEliminar
  12. Caro senhor.
    Labora num pequenino erro, que eu penso seja de desconhecimento, vá :)
    O seu artigo peca por alguma falta de esclarecimento racional, sendo como é, dirigido à espécie bípede sem descriminação de género, e daí o erro que inicialmente lhe aponto.
    Deveria ter-se dirigido aos machos, apenas. Todas as dúvidas da existência são exclusividade masculina.
    Nunca pergunte a uma mulher se sabe. Limite-se a interiorizar que ela já nasceu com o conhecimento.
    Gosto agora mais do seu espaço do que antes me agradava. Está muito bonito.

    Matilde.

    ResponderEliminar
  13. Não faço ideia onde quero chegar, senão já lá tinha chegado.
    A Alexandra rula bués!!!)

    ResponderEliminar
  14. If red is the sound of angry men, green is surely the sound of strength and hope. Páscoa Feliz, Senhor.

    ResponderEliminar
  15. Eu cá sei muito bem onde estou e onde quero chegar, a porra dos obstáculos é que já chateiam... já saltei, contornei, dinamitei e cada vez aparecem mais....

    ResponderEliminar
  16. Estou no Rossio, quero ir para o Terreiro do Paço passando lá por cima, pelo Chiado, pelo caminho tenho monhês e ciganos a pedir - é isto? Vou num bom caminho estimado Pipoco?

    ResponderEliminar
  17. Sim, sei onde quero chegar! Estou na fase de avaliação e escolha dos métodos para eliminar os obstáculos. Quer-me parecer que é em si a coisa mais difícil de se fazer quando se escolhe realmente ultrapassá-los.

    ResponderEliminar