28 março 2013

Lembra-te sempre disto, Ruben Patrick

"-Vamos pôr as coisas no seu lugar - disse-me, por fim, sempre virada de costas.
-Tu não podes proibir-me de nada, nem sequer a brincar, pela simples razão de que não és nada meu. Não és meu marido, não és meu noivo, não és meu amante. Essa brincadeirinha de darmos a mão, de nos beijarmos no cinema, não é a sério, e, sobretudo, não te dá direitos sobre mim. Tens que meter isso na tua cabeça, filhinho".

Vargas Llosa, in "A Tia Júlia e o Escrevedor"

5 comentários:

  1. ;) rubrica nova? Pipoco lê...

    (só falta a imagem da capinha :b e é bem bonita :)

    ResponderEliminar
  2. É muito confuso viver na fantasia e na realidade, principalmente quando se está na flor da idade, quando de tem uma imaginação fértil e se constroem enredos em que as personagens se misturam.

    ResponderEliminar
  3. Diz-lhe com música, piqueno RP... Nada de clássicos nem Gangnam Style...
    http://m.youtube.com/watch?v=hkK04szvPf8

    ResponderEliminar
  4. Anónimo30.3.13

    Oh...esse foi o primeiro livro que li dele, e após muitos mais continuo a achar um dos mais deliciosos;)
    Carmo

    ResponderEliminar