15 outubro 2012

Experiências, é o que daqui levamos

A minha missão no mundo, para além de ajudar senhoras de idade em aeroportos, é explicar aos que se sentam comigo à mesa que quando se paga uma pequena fortuna por uma garrafa de vinho, não é pelo vinho que estamos a pagar, paga-se o ritual de abrir a garrafa, sacando a rolha muito devagar não vá ela desintegrar-se, depois é a prova do vinho e o alívio de perceber que resistiu a tanto ano, finalmente decanta-se, devagar, com tempo, e, quando finalmente se serve o vinho e o apreciamos com os amigos de uma vida, um bom vinho não se bebe a sós, sabemos que aquele vinho vai ser recordado por muito tempo, daqui a dez anos talvez ainda seja tema de conversa, lembras-te daquele vinho que bebemos em casa do Pipoco?, caramba, aquilo é que foi um dia grandioso, quando se paga uma pequena fortuna por uma garrafa de vinho, não é pelo vinho que estamos a pagar, é pela memória futura.

8 comentários:

  1. não só mas também.

    ResponderEliminar
  2. Que coisa tão parva que me aconteceu neste momento... De repente quase me pareceu que o tio Pipoco, com este constante acenar de "experiências", era um comercial da empresa "A Vida é Bela"... Uma coisa absolutamente idiota da minha parte, eu sei...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo15.10.12

      eheheheh se não é, tinha o perfil indicado!
      E a morcela, e os torresmos, Senhor? Acompanharam a pinguita??

      Eliminar
  3. Agora fez-me sorrir, já lhe tinha dito que às vezes provoca isto nas pessoas, não é verdade? Esses sorrisos meio tolos, atrás de um ecran.
    Bom dia também para si.

    ResponderEliminar
  4. ... Já agora , Senhor, e sem querer de modo algum ser desrespeitosa, este seu post parece um bocado um anúncio ao azeite Gallo... ♫ ó rama, ó que linda rama ♫ ....a "cantar" desde 19...

    ResponderEliminar
  5. http://www.youtube.com/watch?v=vtLYLKTmK20

    ResponderEliminar
  6. que bem dito, caríssimo.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo16.10.12

    Uma pessoa assiste à conferência de imprensa do ministro Gaspar e tem, entre outras, duas saídas possíveis: fica irritado, a fever por dentro ao ver o país afundar-se ou compra revistas côr de rosa e sonha com festas glamourosas e vidas de sonho que na verdade só o são nas revistas (ou lê o Pipoco...). O país, esse, continua a afundar-se.

    Marta

    ResponderEliminar