30 outubro 2012

Ele há ocasiões...

... em que quase me apetece escrever num blog com o meu nome verdadeiro, um homem olhava para o fim dos posts e lá está o seu nome, coisa fina, em bom, talvez até conseguisse convencer mais alguém e havíamos de ter um blog colectivo, só de sumidades, uns de direita e outros de esquerda, havíamos de nos citar e argumentar com veemência, a plateia suspensa das nossas argumentações sustentadas e elegantes, havíamos de ter picardias com os outros blogues e seríamos citados sempre que o assunto fosse coisa grave, haviam de nos imaginar sentados a escrever numa secretária de boas madeiras, todos os posts escritos com uma Montblanc antes de ser publicados, uma eterna névoa de Cohiba Lanceros a dominar o ambiente, com uma estante de livros sérios por detrás, escritos graves e pertinentes, quem nos lesse havia de pensar que também pensava como eu.

Depois passa-me, penso que afinal de contas tenho sempre  o Ruben Patrick e que tenho o blog mais fácil de escrever da blogosfera porque é só um blog e nada mais que um blog.

8 comentários:

  1. um blog poucas vezes nos é apenas um blog. é um pedaço da nossa essência exteriorizada a toda a blogosfera. mesmo quando criamos personagens ou inventamos histórias, nós estamos lá, em cada vírgula que colocamos, em cada palavra que escolhemos, em cada omissão que decidimos fazer...



    ResponderEliminar
  2. E acho que fazes bem em manter as coisas assim, simples.

    ResponderEliminar
  3. Eu cá prefiro a simplicidade e o anonimato.

    ResponderEliminar
  4. Mensagem subliminar no seu melhor. Se é que eu sei o que quer dizer "subliminar". Este blog é tão "simples" (ehehe) que por vezes só lá vai com o Priberam à distância de um clic. Por isso é que é um desafio lê-lo. Obrigar a malta que o lê a pensar, é contribuir no mínimo para um país melhor. Ainda que eu ache que em muitos casos a coisa tende a não resultar...

    ResponderEliminar
  5. Um blog não é suposto ser apenas um blog ? Se se quisesse um best seller, escrevia-se um livro... ou então não, mas enfim... "o essencial é invisível aos olhos", dizia o Saint-Exupéry, por isso deixe lá a sua "essência" guardada, não vá assustar a clientela, porque aquela máxima de que quem vê caras, não vê corações, não é assim tão verdadeira... Churchill, uma das mentes mais brilhantes do século passado, era um tanto disforme... mas fumava Romeo y Julieta e apreciava whisky... “A regra da minha vida determina um ritual sagrado e absoluto que inclui fumar charutos e também beber álcool antes, após e, se necessário, durante todas as refeições e também nos intervalos entre elas.”... Abraço :D

    ResponderEliminar
  6. Anónimo30.10.12

    Mas assim ninguém lhe oferece nada... Nem se pode despedir e passar os dias a provar roupa e a experimentar spas...

    ResponderEliminar
  7. "um blog poucas vezes nos é apenas um blog. é um pedaço da nossa essência exteriorizada a toda a blogosfera. mesmo quando criamos personagens ou inventamos histórias, nós estamos lá, em cada vírgula que colocamos, em cada palavra que escolhemos, em cada omissão que decidimos fazer..."

    Este comentário devia estar a negrito por toda essa blogosfera fora, devia estar espalhado em cartazes por toda a cidade, dentro dos néons e dos tubos de escape, nas paragens de autocarro, nas filas do supermercado, nas manifestações, nas saladinhas de fruta, na polpa do tomate, na última estação de metro, no kinder-surpresa e na árvore de natal. bem-haja haka obrigadinha


    ResponderEliminar
  8. Percebo perfeitamente.

    Ps. Muito fixe teres adoptado uma cadela. Bastard greetings.

    ResponderEliminar