30 junho 2012

Quase no fim do Sul

O sul que eu gosto é o de finais de Junho, senhoras antigas com netos pela mão, equipadas com chinelos de praia marca Beach Time, ficam-se pela borda de água e deixam o mar todo para mim, senhores que gozam as delícias da reforma e chegam cedo ao areal, equipados de livros com marcas de pó e humidade de sótãos, às vezes atendem os telefones e falam para longe, são os pais dos netos que querem saber se tudo está bem, eles confirmam com o olhar que sim, que o Ivan e a Constança estão felizes, a brincar com os seus baldes e omitem a bola de berlim que acabaram de lhes ofertar, em Junho não tenho que esperar pela minha vez para me servirem um café e posso ler livros enquanto espero pelo jantar que é sempre peixe grelhado, "peixe de mar, senhor Pipoco, disto não encontra na sua cidade", eu confirmo ao velho Julião que sim, que a dourada que me apresenta é coisa em condições, este é o tempo em que o sul se suporta, um sul tranquilo e doce, em Junho até eu sou o mais bonito da praia.

6 comentários:

  1. Você às vezes escreve mesmo como eu gosto.

    ResponderEliminar
  2. esse é um sul muito bonito, sem dúvida.

    ResponderEliminar
  3. Eu em Junho também sou a mais bonita da praia. Go fetch!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo3.7.12

    Gostei do "senhoras antigas" :-)

    K.

    ResponderEliminar