04 fevereiro 2011

Daqui onde me encontro...

... a olhar para o horizonte com o meu olhar a meio caminho entre o taciturno e o impenetrável, penso, e isto não tem nada a ver com quem almocei, às vezes eu pranto aqui pensamentos (todos eles com a densidade que me é reconhecida) já fora de prazo e há sempre quem pense que aquilo é porque não gostei da companhia, e tal, mas, dizia eu, estou sempre a perder-me, dizia eu que as pessoas em geral e as mulheres em particular não sabem lidar com o elogio, é elogiá-las e ficar ali a observar o que fazem, se se desequilibram com a surpresa, se ficam a ruminar a possibilidade de existir uma quarta iteração no elogio ou se o recusam, não se achando merecedoras.

As pessoas são pouco elogiadas, é o que é. As mulheres, em particular.

15 comentários:

  1. (rolando o cigarro)

    Mas há limites para a carência de validação de uma mulher?

    (prescindindo da cinza)

    ResponderEliminar
  2. Don, meu caro, carência de validação é um conceito fino.

    (não há)

    ResponderEliminar
  3. (rasgando o celofane)

    Estamos de acordo então. No fundo, como em tudo na vida, a carência de validação de uma mulher é apenas mais um dos temas em que estamos condenados a ficar sempre em eterna dívida.

    (abrindo a prata)

    É por isso que digo... já que estou sempre em dívida... porque não endividar-me em estilo?


    Desabafo complementar: mais uma vez acabo de ser censurado num blogue feminino de grande audiência. Afirmei apenas um facto óbvio: uma mulher insatisfeita é, ao mesmo tempo, uma mulher fácil de satisfazer. Talvez não tivesse sido censurado caso tivesse recorrido a um elogio fácil. O que comprova o que digo.

    ResponderEliminar
  4. Don, meu caro, não há blogs de grande audiência. Eu costumo usar e medida do estádio do Sporting, quinze mil pessoas (o máximo de audiência que um blog feminino pode aspirar) é o estádio cheio a um terço, é o que levará lá hoje a Naval, uma desolação.

    E sim, uma mulher insatifeita é facílima de contentar, nem sequer é paradoxal.

    ResponderEliminar
  5. O meu pai diz que sempre quis um rapaz, mas depois vim eu e ele ficou satisfeito, porque consigo ter as partes boas dos dois lados (excepto o mau feitio de gaja, diz ele!). Sempre detestei isto, mas começo a concordar. Para mim, isso é evidente! Sempre que sou elogiada respondo com um "desculpa, mas eu não sei lidar bem com elogios... evita-os, caso contrário fico sem saber agir".


    Don Draper, eu não sei que blogues frequenta, mas eu já tenho algum tempo disto (o nick tem um motivo!) e nunca vi ninguém censurar uma pessoa por dizer uma verdade absoluta; é que nem sequer é questionável! Por algum motivo devemos sempre fugir de relações quando estamos a curar-nos de algo: o pouco parecer-nos-ia excelente!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo4.2.11

    Don Draper e Pipoco mais Salgado....(gargalhada no ar) vocês são absolutamente deliciosos..
    P.S.Como encarar tal "elogio"..?
    Susana

    ResponderEliminar
  7. E os cavalheiros permitem uma opiniao diferente ou essa é dogmática?

    É que essa teoria de que uma mulher insatisfeita é facilima de contentar é, em alguns casos, absolutamente falsa.

    Já ponderaram a hipótese de ela ser insatisfeita precisamente por não se satisfazer com qualquer coisas e/ou com coisas fáceis?

    Só assim uma ideia...

    ResponderEliminar
  8. Senhores, lamento informá-los mas não há criatura no mundo que tenha maior carência de validação do que homem. Pensem nos vossos amigos. Um bocadinho mais de objectividade, por favor.

    ResponderEliminar
  9. Quanto à insatisfação, senhores, não se fiquem pelas mulheres e alarguem a teoria la paliciana aos homens. Como é óbvio, qualquer pessoa (e até cão, gato, coelho, etc) insatisfeito é muito fácil de satisfazer.

    ResponderEliminar
  10. Permitem-me uma constatação de facto? Os senhores podem alardear para aí que sabem como satisfazer uma mulher insatisfeita mas, até agora, ainda só vi que sabem como "insatisfazer" uma mulher.
    Então, nenhum responde à miúda? Ela, que até a estou a ver, já está a começar a rodar o pézito.

    ResponderEliminar
  11. Secalhar andas a conhecer as mulheres erradas...

    ResponderEliminar
  12. Eu depois de ver este episódio do Mad Men, entendo o Don muito melhor...

    Não deve ser fácil...

    (Até acendo um cigarro e tudo...)

    ResponderEliminar
  13. anónima benfiquista5.2.11

    (...)"as mulheres em particular não sabem lidar com o elogio(...)"
    Pois deixe que lhe diga, depende das mulheres meu caro Pipoco.
    Um "obrigada" chega?

    ResponderEliminar
  14. Anónimo5.2.11

    Cá vai.

    É muito fácil. É agradecer como se fosse a coisa mais natural do mundo, que é, porque as mulheres existem para isso mesmo, para receber elogios, e ficar à espera dos seguintes. Depois, logo se vê.

    ResponderEliminar
  15. Eu digo: que se institua o "dia do elogio à mulher", a seguir ao "dia da mulher".

    Aquele abraço,

    ResponderEliminar