11 outubro 2010

A fama que me precede, da minha excentricidade, também ajuda, é claro...

Dos meus saberes empíricos variados, o que mais aplicabilidade tem na vida real é aquele que eu aprendi que as pessoas tendem a acalmar-se deveras quando têm que me dizer as coisas nos olhos, as pessoas tendem a ser uns exemplares da raça humana extremamente perigosos e ameaçadores em estando longe, em escrevendo mails e às vezes em falando ao telefone, mas basta ir ao encontro do indivíduo, olhá-lo nos olhos ao mesmo tempo que exibo a minha expressão facial de indivíduo extremamente cooperante e com vontade de fazer parte da solução e as situações tendem a distender-se e afinal a problemática não era assim tão complexa e aquele tom agressivo do indivíduo afinal fui eu que contextualizei mal.

7 comentários:

  1. Anónimo11.10.10

    Pronto, está bem, o prémio Nobl será pouco. Vais ser beatificado. Ainda o teu corpinho há-de estar quentinho e já és um santo.
    Amén. Doim.

    ResponderEliminar
  2. acontece-me o mesmo em relação ao Zé.

    ResponderEliminar
  3. Ora aqui temos um saber empírico bastante útil. O que eu adoro quando o indivíduo, inicialmente agressivo, fica manso como um cordeirinho...

    ResponderEliminar
  4. Sábio empirismo, esse. O problema são os não enviam mails, não fazem telefonemas furiosos e aparecem à porta.

    ResponderEliminar
  5. O Pipoco tem que aprender a interpretar melhor os tons de voz. Isso de achar que as pessoas estão agressivas e depois ah e tal afinal era engano meu, pode levar algum espírito mais sensível a ficar magoado consigo. Ou decepcionado, até..

    ResponderEliminar
  6. Posts como este são aqueles em que o autor não provoca, ou se provoca, não é essa a intenção final. A intenção final é mesmo usar o blog para contar um bocadinho daquilo que lhe surge à ideia e partilhar com o mundo as conclusões a que chega. O autor aqui é um bocadinho menos pipoco e um bocadinho mais real. Mas que seria de um blog snob chic ou pelo menos com pretensões a tal, sem um bocadinho de realidade?
    Bravo, portanto.

    ResponderEliminar