27 setembro 2010

Por hoje era só mais isto

Estava eu enroscado no meu filho, a ver um documentário sobre a vida dos mineiros, a dureza, as condições de trabalho, e tal. Ele perguntou-me se eu ganhava mais que um mineiro e eu disse-lhe que achava que sim, bastante mais. Ele perguntou-me porquê. E eu pensei na dificuldade que é prever mercados e fazer umas reuniões e não fui capaz de responder.

12 comentários:

  1. Pipoco revela um pouco do seu trabalho.

    ResponderEliminar
  2. É mais difícil prever mercados e fazer uma reuniões que andar literalmente por dentro da terra a comer pó, arriscando-se a levar com um calhau na tola a qualquer momento?
    As coisas que tu me ensinas...

    ResponderEliminar
  3. Astuto, o pequeno, astuto.

    (E Pipoco ataca mais uma franja do mercado blogosférico.)

    ResponderEliminar
  4. Anónimo27.9.10

    @anouc não é. e foi exactamente isso que tornou impossível a resposta, creio eu.

    ResponderEliminar
  5. Anouc, no seu afã de ser do contra, você acaba por tresler e não tomar atenção ao que o Tio Pipoco diz. Sente-se aqui no joelho do Tio Pipoco e preste atenção:

    i) Os mineiros e outros senhores que têm uma profissão arriscada e nobre (pescadores, polícias, professoras do secundário na escola EB2 da Cova da Moura) não vêem expresso no final do mês esse esforço titânico que desenvolvem

    ii) O Tio Pipoco, por outro lado, tendo uma profissão estupidamente bem paga, tem um factor de risco mínimo, ele é viagens e bons hotéis, ele é conferências, ele é coisas divertidas e extremamente sexy.

    iii) Assim sendo, perante aquele "porquê?", o Tio Pipoco não encontrou uma resposta satisfatória e simples

    iv) No entanto, e agora sem demagogia, o Tio Pipoco conhece a razão de as coisas se passarem assim. Chama-se mercado, o Tio Pipoco podia explicar perfeitamente os rudimentos da coisa, mas não daria um post ternurento. E hoje o Tio Pipoco desejava acabar o dia com um post ternurento, sabe?

    ResponderEliminar
  6. Eu aqui, sentada no seu joelho (que por acaso é confortável, porque é massudo) digo-lhe que sei isso dos mercados. Sei como funciona a coisa. Não a fundo, claro (deuses me livrem!), mas sei. Sei porque é que ganhas mais que um mineiro e um bate-chapas e um bombeiro e esse blá blá blá todo.
    Eu sei Pipoco... esta tua leitora é tola, mas não tanto.

    Só peco por este meu défice de atenção. Peço desculpa.
    Eu e o meu afã... que chatice.

    ResponderEliminar
  7. Pronto, Anouc, pronto. O Tio Pipoco é magnânimo e bom e tudo perdoa. Vamos lá ver se a coisa não se repete, o afã não é coisa ruim, tem é que ser direccionado.

    ResponderEliminar
  8. Talvez a profissão do tio Pipoco tenha algo em comum com a dos mineiros: ambas de desgaste rápido. Falhe lá nas previsões dos mercados e vai ver se não corre o risco de um AVC.

    Enquanto isso fico aqui a orar aos santinhos para que tal não lhe suceda. Eu até nem desgosto do blog. [Sorriso]

    ResponderEliminar
  9. As crianças são tão mais justas do que nós!

    ResponderEliminar
  10. Também eu trabalho com os mercados (de um ponto de vista que não o seu, acredito)e por vezes penso no quanto vazio tudo aquilo é.

    ResponderEliminar
  11. Com esta é que o snob-chic foi com os porcos! Ele tenta, tenta mas de quando em vez descai-se.
    Bem haja Pipoco

    ResponderEliminar
  12. Este Verão, quando houve aumentos de impostos, a minha filha de 10 anos perguntou-me:
    - Mãe, porque é que vão aumentar os impostos?
    Eu - Porque estamos em Crise.
    Ela, com um ar pensativo - Mas... Se estamos em Crise, não é suposto BAIXAREM os impostos?

    Acho que o mundo seria bem melhor e a vida bem mais simples se fossemos governados por crianças...

    ResponderEliminar