10 agosto 2010

Disso, da tal felicidade

Estender-me na relva, afastar as pernas, esticar os braços e olhar para os rebentos novos da azinheira e ficar contente porque o pinheiro novo afinal se safou, receber telefonemas dos sobrinhos para me pedir conselho sobre livros para levarem de férias, rir-me com a minha avó, andar na camioneta "da carreira" porque não me apeteceu ir buscar a "viatura de substituição" e perceber que se pode ir "na carreira" para o aeroporto, jogar futebol com a minha cadela, rebolar com os meus filhos com a rega ligada e perceber que se calhar acabei de foder um fato com a brincadeira, ir "à terra" e receber aquele abraço forte dos homens que se estão cagando para os meus Cartuxa e Pêra Manca e o caralho e me espetam com um tintol lá da produção deles, que me arranha a garganta mas que, em vindo acompanhado com bola de pão e chouriça até bebo dois copos, quase me emocionar (eu disse "quase") porque o tipo a quem dei os rands que ganhei no casino de Durban (porque o tipo ia ficar sem emprego depois do Mundial) me mandou uma mensagem a dizer que a filha já tinha nascido, comer pêssegos dos meus, ficar a ler até tarde com música de discos de vinil em fundo e toda a gente em casa a dormir, ajudar a senhora que não sabia de onde saía a "carreira" e ela sorrir para mim e dizer-me "obrigado, menino".

17 comentários:

  1. E não tenhas dúvidas de que os homens que se estão cagando para os teus Cartuxa e Pêra Manca são muito mais felizes que cada um dos desgraçados que anda por esta blogosféra.

    ResponderEliminar
  2. Ginger, isso é poético e bucólico, e tal. Mas não é verdade. E ainda bem.

    ResponderEliminar
  3. O prazer das coisas simples... (entretanto, a Gingerbread Girl deu-me uma boa ideia para o próximo post). :D

    ResponderEliminar
  4. o que digo: ora, então, que lindo texto, Pipoco!

    o que queria dizer realmente: cartuxa para mim é a mulher do cartuxo, pêra manca é a fruta que calhou de nascer com uma perna mais curta que a outra, e da tal felicidade não sei. sei é que hoje acordei às 5h da manhã para me apresentar ao exército, e se for chamado a servir estou fodido porque a faculdade começa semana que vem, e eu rasgava 10 fatos e bebia 10 litros de vinho ruim para não perder todo um ano de estudos.

    ResponderEliminar
  5. Um das coisas que me intriga (qb, não em demasia claro) é a tua idade...

    ResponderEliminar
  6. Que homem, mais complexo, Pipoco! Esta mistura de simplicidade e sofisticação, deixa-me desorientada.
    Não são as coisas simples da vida, as melhores?
    P.S. ao meu marido também já o ouvi falar em Pêra Manca, pensava que falava de pêras...

    ResponderEliminar
  7. São textos destes que me deixam a sorrir pela lembrança da primeira personagem que lhe conheci (para mim a mais próxima da realidade).

    ResponderEliminar
  8. Escrever um post em 'open-heart mode' porque está feliz.

    ResponderEliminar
  9. Caro pipoco, não tente fazer de mim um crápula com sentimentos. Seria uma realidade dividida muito tortuosa.

    Vou já ver um filme do Lars Von Trier para me sentir pior.

    ResponderEliminar
  10. são as coisas simples da vida as que mais nos fazem sorrir e sentir bem.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo10.8.10

    Brilhante, Pipoco.

    ResponderEliminar
  12. Prefiro o mistério... ;)

    ResponderEliminar
  13. É mais ou menos isso, é. E saber que é temporário, claro.

    ResponderEliminar
  14. caro Pipoco,
    quero pedir desculpas pelo comentário ali acima (é que àquela hora, e ante aquelas perspectivas, estava difícil manter o bom humor).
    mas algum dia haverei de ter filhos, e então decobrirei que rasgar uma roupa a brincar com eles deve fazer todo o sentido do mundo.

    ResponderEliminar