25 maio 2010

Das minhas anónimas

E depois há as anónimas, ao contrário de toda a gente, gosto das minhas anónimas, imagino-as umas senhoras que perderam o melhor da idade a cuidar das crianças, sem tempo para terminar o ensino obrigatório, uma maçada de vida, imagino-as a fumar maços de cigarros junto ao computador lá de casa, as anónimas não têm portátil, não precisam, a casa é o seu mundo, imagino-as a ocupar o muito tempo livre que têm a enviar comentários anónimos desenfreadamente em vez de se dedicarem a estudar e, quem sabe?, a trabalhar, a ter uma utilidade para a sociedade, mesmo sabendo que aqui no Pipoco há moderação de comentários (sim, as minhas anónimas têm essa pequena vitória) enviam os seus comentários azedos, pelo menos eu leio, isso é que interessa, eu fico sempre espantado com o tempo que as minhas anónimas me dispensam, a vida é mesmo assim, nada a fazer, gosto das minhas anónimas, a sério que gosto, leio, apago e fico sempre a pensar que ter pena de alguém continua a ser-me tão desconfortável.

32 comentários:

  1. Cá para mim as tuas anónimas são de uma camada jovem...

    Moças que queriam, na flor da idade ser aprazíveis. Mas não são!

    Moças que a idade lhes permite ter a coxa firme, 50kg e um par de marufas arrebitadas aos céus... Mas não têm!

    Moças que podiam ter uma vida sexual tão boa como a vida social algarvia por este tempo. Mas não têm...

    Estas moças, pipoco, nem fazem por mal... Elas não vivem, compreendes?! Estas pobres, coitadinhas, sobrevivem...:(

    Pobres miúdas... o mundo está contra elas. E elas, coitadinhas... elas para que se vão mostrar? vão mostrar o bigode farfalhudo, a verruga e aquele arzinho ressabiado? Não! É claro que não, pá!

    Não tenhas pena! Tem piedade, sim?!
    E fica com elas todas que eu dispenso-as bem!

    bjitos lol

    ResponderEliminar
  2. Curioso... o que te leva a pensar que são anónimas e não anónimos??

    É engraçado que no meu caso eram (ou penso eu) anónimos.

    Mas nesse caso imaginava-os a fazerem coisas piores do que só fumarem ou enviarem comentários.

    Caro pipoco, eu nunca dispendi tempo que fosse para esses demais. A vez que o fiz foi para terminar o blog, algo que fiz por mim e por achar que já não fazia sentido pois a escrita 'controlada' não é escrita verdadeira.

    ResponderEliminar
  3. Ui... acho que acabaste de irritar seriamente as anónimas.

    *Ginger teme pelo Pipoco*

    ResponderEliminar
  4. Ah mas dedicaste-lhes um post!

    É bonito e emocionantem sim senhora! :)

    ResponderEliminar
  5. Se a essência delas é ter uma vida de ócio, cuidar de putos ranhosos, levar cerveja ao barrigudo do marido quando ele vê futebol, ter sexo no Natal e principalmente não ter de andar sempre com o portátil atrás... então até eu quero ser uma anónima!!

    [Sorriso]

    ResponderEliminar
  6. Anónimo25.5.10

    Pipoco nunca comentei o seu blog será hoje a primeira vez.
    Já lhe ocorreu que muitas anónimas podem não ter nenhum blog? Será que é necessário criar um para comentar?
    Sinceramente não percebo certas observações, até parece que ter um blog está na moda e é um circulo onde só alguns podem participar.
    Quem tem blogs, tem uma vida divertida, são lindos, ricos e maravilhosos... que não tem é um desgraçadinho... Pipoco... por favor.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo25.5.10

    Sendo eu "anónimo" tenho de, obrigatoriamente, encaixar-me nesse post tão dedicado. Ora bem, eu tenho tanto tempo para escrever um comentário anónimo como tu tens para colocar um post, também ele para mim, anónimo, uma vez que não sei quem tu és, acho que me entendes. E, como até tenho portáteis, escrevo-te sobretudo quando estou na casa de banho, assim, como quem junta o útil ao agradável.

    Um homem tão experimentado, como queres parecer, sempre esperei que o teu blog oferecesse mais, mas, afinal, é mais um blog fútil. Evidentemente, também é útil um blog fútil, mas, não sei sei... pareces um homem tão interessante... E fico sempre à espera que é desta que sai um post altamente. Mas, meu querido, não tem saído (e agora dava para fazer uma chalaça, mas é melhor não).

    ResponderEliminar
  8. Anónimo25.5.10

    Caro pipoco.
    Por que crê que os anónimos são uns ressabiados? Se vir bem, há manifestações, há greves e muitas formas de combate como forma de expressão para acabar com o que se acha mal.
    Ainda que não se consiga pôr fim ao flagelo enfadonho e arrogante que são, neste caso específico, os seus textozitos, é legítimo não os acarinhar, ainda mais legítimo não os apreciar.
    O pipoco tem dificuldades terríveis em aceitar comentários de enfoque pouco simpático a seu respeito, mas que quer?, põe-se a jeito, e a vontade de o “exterminar” da blogosfera é quase instintiva.
    Eu, leitora dos seus blogues, acho-o chato, maçudo e repetitivo.
    Fico um tudo-nada incrédula com as pessoas que aqui chegam, o lêem e acham tudo muito original quando, em boa verdade, o que o pipoco faz é repetir-se, cada vez com menos graça, cada vez com mais arrogância.

    Dedicou-nos um post, faça o favor de publicar a resposta.

    Assinado por anónima, ou Sandra, ou Cristina, ou Constança… escolha o que melhor lhe aprouver que, por mim tanto se me dá, até porque – espante-se – estou a trabalhar, e não enfiada em casa a queimar beatas.

    ResponderEliminar
  9. Oh pa! Há gente masoquista! Alguma vez na vida eu ia visitar um blogue que não gostasse, logo cedo pela manhã? lol... e depopis querem que o povo acredite que são felizes!

    Santa paciência, somos todos anónimos nesta aldeia de Macluan, mas alguém nos deu um nome um dia e isso é a única coisa que não se vende nem ninguém nos tira. Porque não dizê-lo?!

    E pronto... os blogues não sendo como um jogo de sueca ("quem está fora não racha lenha"), é pelo menos, uma modalidade com algum savoir faire, com princípios. Um deles é ter identidade, seja ela qual for.

    Olha e queres saber mais? Eu nem sequer aceitava comentários anónimos, quanto mais não fosse para que este povinho perdesse tanto tempo a criar a porra de um mail, quanto perde a pensar em desancar!

    Bem sei que este é um blogue cujo nome é susceptivel a ler o que bem entender nas entrelinhas, mas... quem quer ser melhor que tu tem de mostrar, nunca descer mais baixo.

    Beijinhos,

    Isabel (uma entre montes delas desde o tempo da raínha, mas isabel na mesma, que foi o nome que me deram!)

    ResponderEliminar
  10. Anónimo25.5.10

    Tem graça sabes eu penso exactamente o mesmo de homens que escreve as coisas que tu escreves.

    ResponderEliminar
  11. Anónima "1", imediatamente acima deste meu comentário, vamos por partes. Vou passar por cima da aparente contradição "acho-o fútil mas acompanho os seus blogs", conheço o processo que leva a esta aparente dicotomia e vamos partir do pressuposto de que é uma coisa saudável ser leitora dos meus blogues e achar-me chato, maçudo e repetitivo. A questão nem sequer é nao aceitar comentários "pouco simpáticos a meu respeito", a questão é que este blog, qualquer blog, não é propriamente uma democracia, a minha visão da blogosfera não permite que se use o anonimato para humilhar ou, pior, para usar informação pessoal para tentar amedrontar ou caluniar quem quer que seja. Neste contexto, perceberá que comentários no registo do seu sejam publicados, embora nem sempre respondidos, e outros, com um registo claramente ofensivo e/ou de tentativa de humilhação pública, sejam liminarmente rejeitados. Tenho-o repetido, um blog como este é um exercício de puro divertimento pessoal que, por mero acaso e por uma quantidade de acasos que não dominei, teve uma aderência de leitores invulgar. De resto, se acompanha outros blogs onde escrevo, como parece ser o caso, verificará que há uma "persona" que pouco terá a ver comigo. É só um blog, não perca isso de vista, e nem sequer é preciso exterminá-lo da blogosfera, isso acontecerá naturalmente a 19 de Março de 2011, de acordo com as escrituras.

    ResponderEliminar
  12. Anónimo "3", três comentários acima deste, todos podem participar, evidentemente. Repito, este blog não é uma democracia, os comentários que eu considero despropositados ou ofensivos para mim ou para terceiros não são publicados. E o critério da definição dessa fronteira é meu, apenas isso. Eu não sou rico, nem tenho uma vida maravilhosa nem sou lindo. Sou divertido, isso sim, e queixo-me pouco, isso também.

    ResponderEliminar
  13. (isto da dinâmica de comentários é lixado, quando se inicia o comentário diz-se "dois comentários acima", quando se acaba o comentários já caíram mais uns quantos e a coisa fica confusa)

    Adiante, Anónima que espera que um dia saia daqui um post que não seja fútil, a verdade é que eu não dou mais do que isto, a sério. Não espere mais nem melhor de mim. Mas continue por ai, que isto nunca se sabe...

    ResponderEliminar
  14. Su, este blog serve, essencialmente para eu me divertir. Algumas coisas que escrevo têm uma vaga aderência com a realidade, outras nem por isso. É só um blog...

    (vi o que aconteceu com o seu blog e tenho visto este número muitas vezes. Todos nós temos o poder de fazer com que alguém se sinta tão desconfortável que acabe com o seu blog)

    ResponderEliminar
  15. loool com muita pinta!!

    ResponderEliminar
  16. Pipoco!
    Se o diverte escrever este blog, continue. Há quem goste de o ler. Gente fútil, provavelmente, como eu. Mas a verdade é que me vai divertindo. Mas diverte-me, porque eu continuo a não o levar a sério.
    Vou passando e deixando sempre palavras de carinho, mesmo que às vezes um pouco espicaçantes. ;-)

    ResponderEliminar
  17. Anónimo25.5.10

    Gostava, caríssimo Pipoco, que alguma alma caridosa me explicasse - ressalvando os escassos blogs de figuras conhecidas publicamente - o que na blogosfera diferencia um anónimo de um não anónimo.

    A sério que gostava de perceber.

    ResponderEliminar
  18. Se eu concordar um bocadinho com quase todos os comentários, isso faz de mim uma pessoa sem opinião e convicção não é? Chiça que se há coisa que não sou é isso. Pipoco, estás certo, um blog é um exercício de imaginação, um lugar onde se ventilam coisas estúpidas que nos acontecem e até se fantasiam outras. Não nos traduz enquanto pessoas, são uma parte de nós. E, por isso, é que nem todos assinamos o nosso nome verdadeiro no blog que mantemos. Posto isto, também concordo com alguns comentários anónimos. Visitei durante muito tempo a blogosfera sem me apetecer ter um blog. Assinava como anónima porque sinceramente não acho que faça diferença escrever um nome de alguém que não conhecemos. É uma sensação psicológica só. Depois também acho que há quem passe tempo a passear entre blogs e quem tenha um blog. Será um mais ocupado que outro? Mais produtivo? Mais bem sucedido? Não me parece. Agora, compreendo que receber o tipo de comentários que referiste de anónimos faz saltar a tampa e, às tantas, já fazemos um post sarcástico acerca do asunto. E aí, já concordo contigo, é o uso do sarcasmo e da ironia, o problema é que a ironia é para pessoas inteligentes e nem toda a gente encaixa. É natural cometer generalizações excessivas e ninguém tem de levar a mal. Não gostam deste blog, leiam o meu :) não gostam do meu? Têm mau gosto então! :) Também eu estou sujeita a que quem lê o meu blog me encaixe num estereótipo, mas isso não me tira o sono. É a vida. Quem anda à chuva, molha-se. Eu ainda acho graça ao teu blog e se vires que não dás conta dos anónimos dá-me alguns que eu não tenho mas gostava de ter porque também já fui uma e até os compreendo e porque sou uma blogger agora e queria ter inimigos e anónimos amigos. Pronto. É isso.

    ResponderEliminar
  19. E o menino sempre atencioso... Espero que as suas anónimas lhe dêem valor. Não era qualquer um que lhes dava tanta atenção e carinho.

    Beijinho da Tia

    ResponderEliminar
  20. Maria Fonseca, apareça sempre. Espicaçante ou não.

    ResponderEliminar
  21. Anónimo25.5.10

    Caro Pipoco:
    Espero que o meu comentário o vá encontrar de boa saúde, assim como os seus.
    Neste momento vejo-me em casa, já depois do meu dia de trabalho, aos comandos do meu portátil e, em vez de fazer uma qualquer outra coisa igualmente prazeirosa estou a lêr blogs. É algo que costumo fazer,assim tipo quando me dá na telha, tá a ver?
    Às vezes alguns posts de alguns bloggers que costumo visitar, dão-me vontade de comentar, dizer qualquer coisa, manifestar a minha opinião.
    Costumo comentar em anónima. Sou tão preguiçosa! Até tenho conta no google e tudo mas sou mesmo preguiçosa e não me apetece fazer o login! Enfim, um pecado mortal, não é? Ninguém é perfeito!
    Adiante...
    Costumo mandar uns bitaites (adoro a palavra bitaite) normalmente telegráficos e geralmente simpáticos. Mas também já comentei zangada, provocadora ou agressiva. Depende do post, do tema ou da impressão que me provoca.
    Aqui já comentei algumas vezes. Quando o faço ponho lá um nome que não é o meu. É crime? O caríssimo Pipoco, calculo, chama-se mesmo Pipoco não é?
    As suas anónimas serão algumas como as descreve, outras serão o contrário e outras ainda você não faz a mais pálida ideia se serão sequer mulheres. Podem ser gajos ressabiados e com tempo entre mãos, que também os há!
    E os anónimos simpáticos e que dizem sempre ámen ao Pipoco? Esses já têm vidas mais interessantes? Têm tempo para vir cá todos os dias dizer o que lhes apetece, mas não são desocupados?
    Anónimos somos todos, ou não? Ter um blog ou um nick faz de nós mais o quê?
    Até há qem crie contas só para fazer comentários. Isto é mais correcto ou menos anónimo?
    Enfim, este meu bitaite já vai longo e eu tenho mais que fazer , por isso vou andando, se me permite.
    Até à próxima, com cumprimentos:

    Maria

    ResponderEliminar
  22. Anónimo, é a eterna questão de um comentário como Pipoco Mais Salgado valer tanto como um comentário anónimo. E é uma questão que tem uma resposta evidente, se eu comentar quem quer que seja com um nickname que remeta para um blog, coloco-me num paratamar de algum equilíbrio, isto é, o destinatário pode ver como escrevo, o que penso e, no limite, comentar também, se lhe apetecer. Também os anónimos que vêm por bem (e não confunda vir por bem com vir dizer bem) têm as portas abertas, aliás, os que não são simpáticos mas colocam a sua opinião de forma pertinente e com elevação (mais uma vez, o conceito é meu) são, quase sempre, os primeiros a ter resposta.

    ResponderEliminar
  23. Nervos em Frangalhos, é mais um bom ponto de vista. Mas, recordo, o meu modo acintoso é para os anónimos que não acrescentam nada, os que vêm por bem e dão luta na argumantação são sempre bem tratados.

    ResponderEliminar
  24. Anónima Maria, eu cá vou andando, com a graça de deus, como o tempo, uns dias melhor outros dias pior.

    Muito estimei o seu comentário. Mais uma vez, as anónimas (no femininoi, não me corte este meu fetiche que as anónimas são todas do género feminino) a que se refere o post são as do tipo "Pipoco sei quem tu és, estás tramado, pá, vou dizer à tua mãe que tens um blog" ou as de do tipo "Olha um tipo que se chama Pipoco, isto é um gozo com uma Pipoca, olha, venho aqui destilar um venenozinho e junto-me à tribo".

    Sem outro assunto, apresento os meus melhores cumprimentos

    PS - Como é que descobriu que não me chamo Pipoco?,...

    ResponderEliminar
  25. É impressão minha ou a discussão das anónimas que não mereciam nem tempo nem resposta, mereceram as respostas mais longas e argumentas de sempre neste blog....sem querer ser chata, mas apenas observadora.
    Não tenho nada contra os anónimos simpáticos, mas mesmo esses gostamos de saber um pouquinho deles, nem que isso remeta apenas para um blog, e nem que esse blog não seja o retrato fiel de ninguém.
    Na blogosfera vale tudo, para o bem e para o mal.
    E tenho para mim, que quem ofende sem assinar por baixo, nem merece resposta, muito menos um post.
    Força aí Pipoco Salgadérrimo hoje.

    ResponderEliminar
  26. Pipoco, há alturas em que o menino é demasiado bem educado. Não lhes chame anónimas, anónimos somos todos, chame assim um nome mais adequado.
    Olhe, sei lá, peça ajuda àquele outro Pipoco que há em si e que diz aquelas ordinarices todas e vai ver como até respira melhor.
    Isto é um conselho da Tia mas o menino é que sabe.

    ResponderEliminar
  27. Na blogosfera, o anonimato é apenas um trapito que se veste ou para variar ou para fazer parte. Eu, que sou adepto da diversidade, tão depressa uso a minha conta, como a seguir vou por uma de Maria Florinda, Carlão, o Sapador ou, pura e simplesmente, anónimo.

    O anónimo é humilde, não quer para si a fama do seu comentário, coisa que poucos bloggers, na ânsia de somar visitas e mostrar os seus créditos onde é devido, fazem.
    Até eu, jovem biltre, não resisti a relegar o anonimato mais puro, para um substituto mais personalizado que permita dizer de onde venho.

    Gosto muito de anónimos porque, na sua maior parte, são eles que ajudam os alcoólicos, os que jogam, os das drogas e muitos outros a voltarem a estar no bom caminho. Sem eles, passaríamos a vida a chamar nome às pessoas.

    O anonimato é uma virtude. Ou uma Gertrudes, se assim preferir.

    ResponderEliminar
  28. Se aquela que se diz minha cunhada tivesse atirado o puto ao ar e o tivesse deixado cair, pelo menos, uma vez (uma que fosse), será que o degenerado se dignava a responder à família?
    Ou será isto uma indicação subliminar de que tenho carte blanche para dizer o que me der na real gana que ele não irá refutar?

    ResponderEliminar
  29. Anónimo26.5.10

    Eu, anónima, gosto de ler o seu blog, embora creio só ter comentado 1 vez (se é que não estou a fazer confusão).

    Sou anónima porque não tenho blog, não posso assinar a azul.

    E como, para si, o nome q eu possa ter é lhe completamente indiferente; não vejo necessidade em assinar.

    Mas para ser bem educada vou assinar, desta vez:
    Carla R.

    (acho que não se importará que esta anónima continue a visitar o seu blog)

    ResponderEliminar
  30. É a nova forma de bulling. sempre mais fácil uma vez que o 'agressor' está escondido no anonimato blogosférico e não precisa sequer de dar a cara (ou blog) para poder descarregar as frustações e a raiva contida e assim não sofre retaliações do 'agredido' que não pode entrar no 'domínio' do bullie e conhecer a sua identidade, seja ela ficcional ou não. Há por aí muita gente a precisar de psiquiatra...
    Ainda não conseguem entender o conceito de liberdade!!! É o espelho da triste sociedade portuguesa! e viva a Dinamarca ;)

    ResponderEliminar
  31. Tu não te chamas mesmo Pipoco?!? :o
    Pá!! Fico f*didª com estas merdªs!!! Já estou irritada e ainda só são 10h da manhã!

    Sinto-me enganada! Que ultraje!

    ResponderEliminar