04 janeiro 2018

A melhor coisa que me aconteceu este ano, até agora


9 comentários:

  1. Compreendo, cousas assim são como uma espécie de imortalidade, mesmo quando não se pensa no conceito oposto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É qualquer coisa, esta poção. O cheiro, lá está, ´são os cheiros que me levam à certa...

      Eliminar
  2. Começar o ano em modo anestesiado é capaz de ser uma boa ideia. Whisky não é bebida cá do meu coração, faz uma pessoa andar em contramão e eu não tenho reflexos suficientes que me permitam aventuras capazes de me atirar contra o primeiro muro que me apareça à frente. O muro quase de certeza que ganhava.

    No entanto vinho tinto lá da zona do Alentejo e vinho rosé... pode ser. Pode ser muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, é risco que não corro, isso dos muros, Jamais conduzir depois de beber.

      (Rosé?...)

      Eliminar
    2. Então, Rosé é aquele vinho que não é tinto nem é branco, fica ali sentado no meio, portanto, como gosto de vinho tinto e não gosto de vinho branco, o Rosé parece-me uma boa opção, não é excelente mas bebe-se. Muito fresco de preferência. Uma pessoa sobrevive à experiência, garanto-lhe.

      Eliminar
  3. Calma, Tio Pipoco...o ano ainda agora começou.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo6.1.18

    ahhhhhhhhhhhhhh. então o Pip não se emborrachou? é que quando vejo alguém fazer uma apreciação de determinada bebida com álcool também acho sempre que a garrafa foi emborcada por inteiro e de uma vez só.
    saudações.

    ResponderEliminar
  5. Talvez já conheça, mas parece-me ser a hora e o local de lhe sugerir Aquavit, a água da vida norueguesa.

    ResponderEliminar
  6. Finalmente, um patrocínio!

    escrito em colaboração com a provavelmente melhor destilaria cá do prédio?

    Não é esse whiskey que queria ser um gin?

    ResponderEliminar