15 janeiro 2017

Por pouco isto não foi uma guerra de bloggers (moral da história)

Gentis leitoras, vamos agora dissecar o que aprendemos com esta desagradável história em que quase me aborreci com o jovem Ruben Patrick que, com o ímpeto da sua juventude e com a carga que é ser um menino resgatado a uma vida de dificuldades, se arvorou em conhecedor de situações e ousou inquietar-me.

Ora aconteceu que todas vós, gentis leitoras, pressentindo o dano, logo decidísteis aconselhá-lo por bem, fazendo-o vislumbrar o caminho da verdade e da paz. Estou grato a todas vós pela sensatez com que agísteis, chamando um jovem à razão, mostrando-lhe que uma amizade de tantos anos não pode ser vilpendiada de uma forma tão atroz, afinal isto não são só blogs, foi a vossa perícia nas artes da inteligência emocional que resgatou um quase-foragido da razão, um putativo perdido para as delícias de uma blogosfera sadia.

O meu bem-haja a todas vós, por terdes interrompido uma tarde de domingo certamente passada junto de uma lareira crepitante na companhia de quem vos ama, para meterdes um pouco de tranquilidade na cabeça deste bom rapaz. Evitásteis assim uma zanga desagradável e bem podeis ficar de bem com as vossas consciências por terdes tido a coragem de intervir e evitar um desaguisado de consequências quiçá irreparáveis.

Retomarei a agradável sequência de bons, suculentos e educativos posts, promovendo uma concórdia saudável e ciente de que este exemplo de como a blogosfera se pode unir para salvar uma amizade perdurará pelos tempos e será usada como estandarte sempre que a discórdia volte a espreitar.

16 comentários:

  1. Só falta agora selar o novel MOU dos estimados PMS e RP em Reikjavíck.

    ResponderEliminar
  2. Curvo-me numa reverente [e graciosa] vénia, caro Dom Pipoco, perante tanta magnanimidade vossa.
    Deixei a lareira a crepitar e os estes amados à espera e vim com todo o gosto entrar nesta intervenção de diálogo pela paz e concórdia entre dois seres tão opostos e tão iguais, ligados pelo laço sagrado da amizade e da profunda estima, que liga um jovem ainda 'inconciente' a um senhor de grande coração, porém, um tanto intransigente. Mas isso são outros quinhentos.
    Quando precisar cá estarei...

    Um abraço, caro PMS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carago, duplo engano: * entes___e, afinal, já ouço risadas.

      Eliminar
  3. Lady Kina15.1.17

    Ohhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh,

    já acabou?!

    :(

    (Pipoco, isto nem parece seu, carago, descartar assim um investimento destes, posts que lhe poderiam render xusmas de visitas e comentários, e daqueles inflamados, de coração nas mãos?!... já morrestes e ninguém te disse? olha, maneiras que caguei, vou ver TV)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Kina não sabes que aqui não se usam esses símbolos dos pontos e parênteses? Olha, vai já badamerda. Pensas que estou para te aturar? A andar! Já!

      (sangue! queremos sangue!)
      ahahahahahahahaahaha

      Eliminar
  4. Desculpe mas... ahahahahhahahahahahhahahahahahaahahahahahahah

    Peço desculpa, sei que gosta de comentários inteligentes mas... ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah

    Pronto, pronto. Já passou.

    ahahahahahahahahahahahahahahahahahahah

    (olha, afinal não)


    ResponderEliminar
  5. Caro PMS, chegue-se aqui à minha beira ( em linguagem moura: ao pé de mim) para termos uma conversinha de trás de orelha, ou seja, uma conversa sigilosa. Seguinte: não acha estranho o silêncio que se instalou aqui para estas bandas? Para onde debandaram as paletes de anónimas que estiveram aqui na brincadeira ainda há pouco? A minha ideia é que estão todas na troca de mails a arquitectar vinganças, novas guerrilhas, novas formas de luta. Cuidado, muito cuidado...há mulheres que de tudo são capazes e a fortuna não está sempre ao vosso lado- dos homens, claro - Fique alerta, de olho vivo e pé ligeiro. Qualquer coisa mande mail...
    Por hoje é tudo, fique bem.

    ResponderEliminar
  6. Caro Pipoco:
    Decidistes. Agistes. Evitastes.
    A 2.ª pessoa do plural do pretérito perfeito parece confundir muito boa gente. Até confundiu Miguel Sousa Tavares na carta final do seu Equador. Pena foi que também tivesse confundido o revisor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lady Kina16.1.17

      Ora tomai lá, Pipoco e Ruben, que já almoçásteis!

      Eliminar
    2. Acontece que o PMS escreveu no pretérito perfeito simples, usando a segunda pessoa do plural= Vós decidistes- agistes- evitastes.

      Porém, como em sua casa cada um é Rei, Dom Pipoco, quis reforçar a expressão e usou os tempos verbais tal como um Soberano o faria, dirigindo-se ao seu povo:

      "Vós, minhas gentis súbditas, decidistéis- agistéis e evitásteis, assim, uma enorme catástrofe... etc etc...e daí??

      Ide, ide dar lições de português a quem vo-las pedir...

      Eliminar
  7. Cláudia Filipa16.1.17

    Pois, fartam-se de ajudá-lo, de dar-lhe a faca e o queijo para a mão, de contribuir para a sua conclusão de que isto são só blogs, que amigos são outra coisa. Sim, Ruben e Pipoco, para além de divertido, de sozinhos terem feito uma festa de arromba, também foi didático. Lá está, gostar de si não é o resultado de ter caído e batido com a cabeça num sítio qualquer.

    ResponderEliminar
  8. í-Teis, meu caro?!

    Ruben, pá! Liberta já o Pipoco, seu jovem Usurpador!

    ResponderEliminar
  9. Alguém chamou o António?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lady Kina20.1.17

      :/

      Quem é o António?

      Eliminar