10 outubro 2016

Que isto às vezes um homem fraqueja e emociona-se

Primeiro foi o presidente da Colômbia ter oferecido o dinheiro do Nobel às vítimas das FARC, depois foi uma passagem de um velho livro de Sepúlveda, já no fim do dia foi estar a ver a televisão sem som e ver um miúdo com tão boa pinta que corri a ligar o som e o miúdo estava a partir aquilo tudo lá num desses programas de talentos com o "Georgia on my mind" de Ray Charles e eu fiquei ali a pensar que um miúdo assim, com aquela boa onda, não aparece um em cem milhões.

8 comentários:

  1. Ainda há esperança Sô Pipoco... Ainda há esperança :)

    ResponderEliminar
  2. Pois eu gostei mais da prestação da Tamara e do "seu" Whole lotta Love!
    O miúdo, Francisco de seu nome, tinha pinta, sim senhor!

    ResponderEliminar
  3. Talvez tenha sido uma passagem do Velho que lia romances de amor ou do Patagónia Express, uma passagem será sempre isso mesmo uma recordação muito valiosa.

    ResponderEliminar
  4. onónimo10.10.16

    Inaugura a rubrica "Os problemas dos Homens"?

    ResponderEliminar
  5. Pois não :)
    A Tamara do Whole Lotta Love foi... enfim inspirador

    ResponderEliminar
  6. Há gente que, de facto, tem uma aura especial.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11.10.16

    Sabe que o miúdo é lá daquelas bandas ribatejanas que o Tio Pipoco costuma frequentar?
    Sofia

    ResponderEliminar
  8. Anónimo11.10.16

    tio, emocionar-se não é sinal de fraqueza.
    vw

    ResponderEliminar