02 novembro 2015

Para que servem agora os blogs

?

13 comentários:

  1. Lady Kina2.11.15

    Eu retirava o "agora".
    Resposta: Não sei.
    Resposta2 (com ou sem "agora"): Para muitas coisas... (mas AGORA não me apetece elencar)

    ResponderEliminar
  2. Depende. O meu não serve para nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora essa. Serve para eu ler.

      Eliminar
  3. Anónimo2.11.15

    Não lhe sei responder, tio. Para tal teria de ter experiência em blogs de há uns anos para cá, de forma a estabelecer um termo de comparação com o antes e o actual. Mas agora que penso nisso, não se pode comparar algo que só possui em comum a mesma base e quando toda a dinâmica é diferente.

    É um pouco (mal comparado) o gato de Schrödinger, a certo momento tudo o que resta é o paradoxo, o princípio da incerteza.

    Afinal, é só uma oportunidade de um blog se reinventar permanentemente, mesmo que isso signifique escrever o mesmo post desde há anos (só a meter-me consigo).

    Já agora a opinião pessoal sobre isto dos blogs em geral é que um blog não serve, usa, mas o blog do tio encontrou um ponto de equilíbrio - não daquele estático mas sim do dinâmico, próprio daquele que está vivo e de saúde.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. Viver uma realidade paralela. Escrever e achar que toda a gente lê. Escrever e achar que ninguém lê. Ganhar dinheiro. Ganhar perspectiva. Voyerismo mais ou menos intelectual.

    ResponderEliminar
  5. Cláudia Filipa2.11.15

    Para mim que leio:
    Para o blogger me descansar relativamente àquela situação de, de vez em quando, nos virem dizer que as coisas mais saborosas nos fazem muito mal e podemos morrer daquilo;
    Para tomar conhecimento do calendário das senhoras com mais de sessenta anos e ficar a saber algumas opiniões sobre isso;
    Para, com sentido de humor, ver retratadas muitas mulheres que fui conhecendo ao longo da vida;
    Para confirmar que o Amor é difícil, dá trabalho, e constrói-se não só no bem bom mas também ultrapassando dificuldades, falhando muitas vezes, mas persistindo, se valer a pena, claro;
    Para reparar que nunca li "Avieiros" de Alves Redol e ter ido ver qual o tema do livro, e por isso acho que agora compreendo a importância de levar uma mulher para ali como refere o blogger na primeira parte do post, ou talvez o blogger quisesse mesmo salientar a importância da mulher em todo o lado, mas isto sou eu a especular depois do que li sobre Olinda Carramilo e a importância de Maria para os Avieiros. Também fiquei a saber que é no "Do outro lado do rio entre as árvores", que Ernest Hemingway fala do Harry,s, que rio é palavra comum nos dois livros, tal como o interesse pela chamada condição humana e mais coisas curiosas a propósito, mas fico-me por aqui no comentário. Fiquei com mais dois livros para ler.
    Isto, só com os seus últimos posts.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que intervenção tão bonita, Claudia Filipa.

      Eliminar
  6. Anónimo2.11.15

    Agora, servem para sentir a falta da Pipoca Arrumadinha !!!

    (beijinhos, PA)

    ResponderEliminar
  7. Começam por servir para ler, todas as manhãs, o post do José Saramago, isto em Setembro de 2008, e assim descobrir o que é um blogue. Depois, servem para sentir muito a falta desse post diário e a seguir, no final de 2010, com o José Rentes de Carvalho, em livro, na mão, ver que afinal há mais blogues, há um TEMPO CONTADO. Volta-se a ter o post diário de que se precisa para inspirar o dia, ou agitar, e daí descobrir (ele tinha lista de blogues nessa altura) uma Ana de Amsterdam que se lê como quem come um dióspiro maduro e se quer sempre mais e uma Mãe Preocupada que se demora mais tempo a tentar porque não se gosta do título Mãe Preocupada devido ao Preocupada (embirração com as pessoas preocupadas em geral), até ao dia em que lá se entra e se sente aquele ar fresco e são, aquele silêncio, a paz, e nos sentamos então a degustar as palavras e depois por causa de uma visita ao Alentejo se faz uma pasta no computador que se chama "o meu blogue" e que fica lá a receber posts tímidos durante mais de um ano até ao dia em que o blogue nasce por causa de uma pergunta sobre a vida e a morte e a partir daí já nos conhecemos.
    Os blogues, os que leio, fazem-me bem, mostram-me que há muita gente boa, gente que sou bem capaz de admirar, gente que por vezes faz posts (ou comentários) que me fazem crescer. E eu gosto de crescer.
    O meu blogue também me faz bem, com ele realizo uma vontade intensa (aliás os blogues, ontem nasceu outro).
    Obrigada pela oportunidade. Continua a ser muito bom vir aqui.
    (não acredito que a Cuca ache que o seu blogue não serve para nada, ela um dia escreveu que com os blogues encontra gente bonita e eu quase achei que podia bem ser uma dessas pessoas bonitas da Cuca e também porque essas coisas normalmente são recíprocas e tudo)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão Susana. Estava num dia em que tinha passado demasiadas horas no mundo dos feios.

      Eliminar
  8. Anónimo3.11.15

    Tio, para mim os blogs servem, desde sempre, para me distrair/descomprimir.
    VW

    ResponderEliminar
  9. Provavelmente para o mesmo de sempre... [digo eu, que não percebo nada de blogs...]

    ResponderEliminar
  10. Para muito, para nada, ou para muito, uma vez mais.
    Para muito se formos capazes de olhar à nossa volta, esquecer o nosso próprio umbigo, e preocuparmo-nos em melhorar a vida de alguém.
    Para nada, se tudo isto não passar de um fogo fátuo.
    Para muito, se a intenção que leva a teclar não for a que mais interessa.
    Apenas uma questão de variáveis no que respeita aos "muitos" desta vida, nada mais.

    ResponderEliminar