07 agosto 2015

A caminho de El Camiño

Não faço ideia do que vou à procura em El Camiño. Não vou pelos níveis de religiosidade, não vou para fugir de nada, não vou pela beleza do percurso, não vou para provar que sou capaz de andar muitos quilómetros por dia e não vou pelo revivalismo de andar com uma mochila às costas e dormir em albergues onde terei que esperar a minha vez para tomar banho. Talvez vá pelo entusiasmo que me transmitiu quem já foi, por saber que um bom Ribeiro acompanha muito bem pulpo a la Gallega, pelo Paris-Dakar, pelas recordações de Santiago, onde já fui feliz, tremendamente feliz.

Talvez vá à procura de tempo para pensar. O meu ano novo começa sempre em Setembro.

26 comentários:

  1. Anónimo7.8.15

    O meu ano novo também começa em setembro. Infelizmente. Porque há anos iniciava-se a 7 de outubro. Saudades.
    Será que Pipoco, deste modo enviesado, quer baralhar (e tornar a dar) no que à sua atividade profissional diz respeito? I wonder...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Baralhar e tornar a dar é a minha vida. Mas não, não sou professor.

      (nem croupier...)

      Eliminar
  2. Bom Caminho tio, espero um post a dizer o que realmente encontrou por lá, possivelmente encontrará o que procura e que ainda não sabe.

    E por favor, não apague o post antes de eu o ler, não me obrigue a parar de pedalar de 5 em 5 minutos para ver se já actualizou o blog ou não, se já chegou a Santiago ou não, para ler o que tem para escrever.

    (Talvez eu também ainda vá a pé até Santiago antes de Setembro começar, se acontecer eu venho cá contar-lhe)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica então combinado, até terminar El Camiño não se apagam posts neste blog, a pedido de quem me inspirou a fazê-lo.

      Eliminar
    2. Anónimo7.8.15

      Dix point pour la blonde.

      Eliminar
    3. lady kina7.8.15

      Ten points sff

      Eliminar
  3. Este lugar é um poço de contradições, mas enfim, Maio talvez seja o mês mais favorável, que Setembro vers Santiago tem ainda a canícula insuportável para as caminhadas. Falo em nome de uma caminhada que está na minha agenda (e da minha irmã) há anos, sem quaisquer motivações religiosas (e também eu tenho as melhores recordadções de Santiago, se excepruarmos o café intragável, à chegada, bem como o queijo miseravelmente sem sabor que por lá se serve).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que este blog é um poço de imprecisões, isso é certo.

      Tem um belo blog, Alexandra.

      Eliminar
  4. Anónimo7.8.15

    Pipoco está irreconhecível !! Quanta dúvida, quanta indecisão, quanta ambivalência, quanta nostalgia ( essa lembrança da Terre des Hommes, que naturalmente é o velhinho Poche ).............ai quanta paixão.......!!!!!!!!!!!!
    Feliz Caminho, peregrino que somos, peregrino que é.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora, faz parte do jogo dar um ar de cão abandonado de vez em quando...

      (exactamente, herança do meu tio de Paris)

      Eliminar
  5. Cláudia Filipa7.8.15

    "Talvez vá à procura de tempo para pensar". Não me parece que qualquer outra razão consiga ser melhor do que esta. E como será a confrontação de alguém a quem o tempo costuma faltar, com a situação de tempo de sobra?
    Eu acho que vai, porque quer viver, experimentar, tudo o que lhe parece valer a pena ser vivido, experimentado. Para mim é um exemplo de pessoa que vive mesmo, não se limitando a sobreviver.
    (este ano, também voltei a Santiago. Na primavera, durante um fim de semana alargado. Ainda vou sair daqui contagiada pela vontade de fazer o caminho )
    (E é bom lê-lo a conversar com as pessoas)

    ResponderEliminar
  6. boa viagem! e lembre-se, muitas vezes o que interessa mesmo é o caminhar e não a chegada! fique bem!

    ResponderEliminar
  7. Esta que viaja há 70 anos, diz-lhe que é a melhor postura, aquela em que se viaja de coração aberto, sem resistência de qualquer espécie, ou expetativa a defraudar. Boa Jornada, adoraria uns relatos depois.

    ResponderEliminar
  8. Que corra tudo bem e que seja tremendamente feliz nesse Caminho...

    ResponderEliminar
  9. Anónimo7.8.15

    O meu novo ano começa em Novembro, tio. Assim o é por sentido e não por calendário. Cada um tem o seu recomeço e sabe quando é hora de o ter. Para alguns começar a andar briguento, de mau humor e implicante é tempo de se fazerem ao caminho. Optam por férias, viagens, moverem-se.

    Penso que se movem para adequar o movimento do corpo com os movimentos que andam em rebuliço na mente.

    De quem prefere invernias que se coadunem com o seu modo, tio, por vezes a melhor jogada é a que requer menos movimentos criando a ilusão de vários rodopiares.

    Você vai fartar-se do caminho. Aliás, ainda nem o começou e já está farto. Mas você e eu somos pessoas completamente diferentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo8.8.15

      Who knows ? .................................................

      Eliminar
  10. Dizem que é quando não se vai à procura de nada que se encontra o que importa encontrar. Boa viagem!

    ResponderEliminar
  11. Que seja uma peregrinação fecunda!
    E que livro escolheu para lhe fazer companhia, afinal?

    ResponderEliminar
  12. Pipoco, boa viagem. Lembre-se que tem muita gente deste lado a desejar que tudo lhe corra bem.

    ResponderEliminar
  13. Vai querer repetir, isto é, vai percorrer os outros caminhos seguramente, e, depois, vai queimar as botas a Muxia, mesmo sem saber o porquê!
    O caminho leva-nos e nunca mais nos devolve! Guarda-nos, sempre!

    ResponderEliminar
  14. Anónimo8.8.15

    Eu fui sem saber porque ia, não sei o que me faz voltar, ano após ano, mas há um apelo irresistível que me obriga sempre a este regresso.
    Talvez a paz de espirito que aquele Caminho me faz sentir.
    Susana

    ResponderEliminar
  15. Anónimo8.8.15

    "O Caminho faz-se caminhando e deixamos pelo caminho as "pedras" que carregamos."
    O meu filho de 15 anos fez o Camino faz agora 2 semanas com um grupo de jovens da sua idade,caminhavam apenas de manhã mas o significado do caminho,a entre-ajuda a superação física do cansaço, as reflexões diárias em grupo e a chegada a Santiago, deixaram nele uma marca que ficará para sempre.
    Ainda bem que o deixei ir!
    Bom Caminho Pipoco

    Cristina

    ResponderEliminar
  16. Quem sabe não é a procura que interessa, mas sim o que poderá encontrar ?
    Boa viagem.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo10.8.15

    Eu também queria fazer o Caminõ. Mas queria ir sozinha. Também por nenhum motivo dos que o Tio descreveu. Mesmo para estar sozinha e pensar, nada mais. (mas talvez seja perigoso, sei lá).
    Em casa chamam-me "maluquinha", e eu fico chateada, porque não tem nada a ver...
    VW

    ResponderEliminar
  18. Anónimo11.8.15

    http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4724000

    CM

    ResponderEliminar