23 junho 2015

ah, o doce momento da escolha. ..

22 comentários:

  1. Eu, se me permite, diria que não vejo aí uma escolha...

    Há muito, muito tempo que o JCN me perdeu como leitor (entendo que o livro até pode ser obrigação e não devoção, mas ainda assim...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. César das Neves surge aqui , de facto, como uma obrigação, meu caro Xirle.

      (embora goste de o ouvir ao vivo, tem um discurso vivo, embora razoavelmente distorcido)

      Eliminar
    2. Anónimo23.6.15

      Essa " obrigação" parece ter sido posta aí, agora, assim, a modos que muito forçada. Post Xilre, o que não teria acontecido se "o reparo educadíssimo de Xilre " fosse de uma dama
      eheheheheh.
      Pipoco com ar de se justificar, uma coisa nova por dia.
      (até repete o vivo, não é incorrecto, mas não faz o seu género repetir)
      É mesmo o voodoo do header !!!!!!!!!!!!!

      Eliminar
  2. Oh, se é, também estou aqui num desses momentos ... não sei se leve o martelo ou o alho-porro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é que é dilema de monta! :D

      Eliminar
  3. Philip Roth, please.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo23.6.15

    Escolhas bastante reveladoras

    ResponderEliminar
  5. Só o facto de encostar esses 2 livros já deveria dar dto a punição severa. Coagitar ler o "abominável homem das Neves" vai além da minha capacidade (vontade) de compreensão...

    ResponderEliminar
  6. Caramba, o voodoo é forte! J César das Neves? Que encosto ruim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo23.6.15

      O voodoo ? Está boa ! Aplicando-se a JCN só pode ser mesmo voodoo ele estar aqui representado.

      Eliminar
  7. Escolher por escolher, escolheria seguramente o lençol.

    ResponderEliminar
  8. As acendalhas estão à esquerda, como sempre, aliás. Da próxima ponha os óculos!

    ResponderEliminar
  9. Caro Pipoco Mais Salgado,
    Entendo este post como uma das suas soberbas provocações. Afinal, todos sabemos que há muito ultrapassou a fase dos princípios da economia política. Ainda assim, não resisto a dizer-lhe que até a sebenta de Avelãs Nunes seria melhor opção.
    Um abraço,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo24.6.15

    A sebenta de Avelãs Nunes... do que se havia de lembrar...

    ResponderEliminar
  11. Que tenha então uma boa escolha!

    ResponderEliminar
  12. Só a ideia de que os escrevinhanços de JCN sejam lidos me causa náusea. Morra JCN, morra, pim!

    ResponderEliminar
  13. Anónimo24.6.15

    O Complexo de Portnoy vai fazer correr muita tinta...

    ResponderEliminar
  14. Se fosse a si não lia o abominável discurso dos salários dos outros, veja antes o filme. Por coincidência estou a ler o Complexo de Portnoy, não no preciso momento em que escrevo. Leve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo25.6.15

      Precisamente, o abominável César das Neves...

      Eliminar
  15. Anónimo25.6.15

    a questão é simples;
    1) economia
    2) dilemas de um jovem judeu tarado sexual. muito sexo/ tensões morais/familiar/sexuais...

    ResponderEliminar