13 maio 2015

Uma coisa nova por dia: conduzir um carro eléctrico

16 comentários:

  1. Andei cismada que o meu novo carro seria híbrido (eléctrico não, porque não tem autonomia que se veja nem onde o carregar na garagem). Depois vi o preço, e fiz contas: a diferença para o que comprei dá-me para sete/oito anos de gasolina. É a vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A condução é interessante. Liga-se o carro e não se percebe que está ligado, não há ruído de motor. O problema é que, com a "carga máxima" só temos 135 km de autonomia. Ou seja é com se andássemos sempre com o carro na reserva.

      (foi só por dois dias, as marcas às vezes são simpáticas comigo e oferecem-me experiências...)

      Eliminar
    2. Ah, o silêncio (assassino) do motor. Fosse eu uma reformada com muito tempo livre e maus fígados, agora estava a escrever uma cartinha à toyota e honda, a sugerir que não vendessem híbridos a velhotes que se esquecem de olhar para trás ao retirar o popó de lugares de estacionamento, principalmente em superfícies comerciais onde circulam utentes que foram às mercearias, e podem estar ali a passar com carrinhos cheios de vitualhas. Valha-me a visão periférica, ou agora estava num esticador em Santa Maria.

      Eliminar
    3. Eu tenho um híbrido e gosto muito de fazer os metros que consigo em modo eléctrico por causa do silêncio, infelizmente ainda são poucos. Mas é verdade que tenho atenção redobrada com os peões, sei que eles não me ouvem, Izzie. Comigo estás em segurança, prometo.

      Eliminar
  2. Anónimo13.5.15

    Muito giros, muito lindos, mas não para Portugal onde a electricidade é tão cara. E ainda lhe somam taxas.

    Tio, quando lhe oferecerem uma voltinha num Tesla pode lembrar-se de mim. Vamos espalhar superchargers por Portugal?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os chargers, que não super, em mais locais do que os que egoistamente me convêm. Ainda hoje dei várias voltas a um quarteirão para estacionar o meu carro e não havia meio de encontrar um lugar vago. Durante todo aquele tempo estiveram 3 lugares espaçosos reservados, com o respectivo posto mobi a rir da minha "desgraça".

      Eliminar
    2. estão em mais locais, faltou o estão.

      Eliminar
  3. Tio, por momentos pensei que fosse um eléctrico da Carris, que susto.

    ResponderEliminar
  4. o método
    1. painéis fotov carregam as baterias do i8 do tio durante o dia
    2. à noite tem duas opções
    a) vai a alvalade com o i8 carregadimho de energia
    b) fica em casa com os electrodomesticos alimentados pelas baterias do i8 através de um inversor.

    gostei muito. encomendei uma lanterna de 5 euros com micro fotovoltaico!

    (ah, o estilo VIP, a BMW oferece teste drive de 2 dias ao Tio! que inveja!!!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14.5.15

      Não fique com inveja, é só um BMW. Se fosse um Tesla... isso é que era de ficar com inveja. Mesmo sem o carro, ver um motor de indução a trabalhar.

      Eliminar
    2. não simpatizo muito com o Tesla. os híbridos da Porsche e da McLaren parecem-me muito mais interessantes, além da potência descomunal suplantada apenas pelo veyron e o outro nórdico cujo nome não recordo.

      ah, a inveja é do tratamento VIP! ;)

      Eliminar
    3. (digo ou não digo que o que me deram para conduzir é o Nissan Leaf?)

      (ah, o desconforto da indecisão)

      Eliminar
    4. Anónimo14.5.15

      ^ (ele é que disse que era um BMW)^
      *olha para o lado e assobia*

      Eliminar
  5. bolas, nós em delírio de grandeza...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo14.5.15

      lulz (publique o "lulz" tio, deixe-se de coisas).

      Eliminar