24 fevereiro 2015

Por falar na retoma do Brent

Diz-se de Giotto que o Papa Bonifácio, não me recordo agora de qual Bonifácio, cada vez ligo menos a números, o contratou por Giotto ter desenhado um círculo perfeito, assim mesmo, de uma só penada, isto já sou eu a dizer.

Talvez a perfeição seja isto, a perfeição da simplicidade (não confundir com a simplicidade da perfeição, isso sei eu o que é).

7 comentários:

  1. Se preciso for, creio que será, intensificam-se os conflitos, um pequena guerra civil aqui, outra acolá, e lá dará para os gastos do povo, na figura de estado do seu Presidente.
    Mas sabe, meu caro Mais Salgado, as fábricas já estão a produzir em série as baterias, (a propósito disso, a Samsung não dorme mesmo), a mudança não irá parar, o ouro negro tem os dias, que poderão ser longos como uma ou duas décadas, contados.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Anónimo24.2.15

    Tio, já Leonardo Da Vinci dizia em 1400 e tal que "a simplicidade era a sofisticação definitiva".
    VW

    ResponderEliminar
  3. Leonardo, que parece que era também capaz de semelhante proeza, dizia que a simplicidade é a derradeira sofisticação. Eu, apesar da nostalgia que sinto dos compassos da Rotring, tendo a concordar que algures na simplicidade (que é uma coisa complicadíssima de se atingir), antevemos, muitas vezes, a perfeição.

    ResponderEliminar
  4. A simplicidade das coisas está na dose de felicidade que utilizamos para as fazer mais bonitas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eis que a caríssima Pipoca Arrumadinha é uma seguidora das ideias de Gilbert, em Harvard. Chapeau.

      Eliminar
  5. Anónimo25.2.15

    Deambular por círculos perfeitos devia ser com esse Papa.
    Cumprimentos tio pipoco.

    ResponderEliminar