24 junho 2014

Eu já tive um coup de foudre. Talvez mesmo dois.

Todos, mas mesmo todos, deveríamos ter o nosso próprio coup de foudre, pelo menos uma vez na vida. Todos deveríamos saber a que sabe uma entrega incondicional, a que sabe perder o controlo e isso ser bom. Ninguém devia ficar sem saber como é ver o coração saltar do peito, ali mesmo diante dos nossos olhos, fundir-se com outro coração e isso fazer sentido, aliás, nada mais fazer tanto sentido. Devia ser obrigatório que cada um de nós ficasse por uma vez sem defesas, que nem se lembrasse que um dia teve defesas, que as lógicas e as regras não fizessem de repente sentido, que nos deslumbrássemos sem resistência.

20 comentários:

  1. Devia sim senhor, mas hoje, logo hoje, j'ais un coup de barre quando o que preciso mesmo é de um coup d'éclat.

    ResponderEliminar
  2. O chamado "abre olhos"...

    ResponderEliminar
  3. Só dois? Onda anda metido Pipoco? Numa caixinha?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um coup de foudre deve ser usado com parcimónia, Uva Passa...

      Eliminar
  4. MAriana24.6.14

    Aposto que esses coup de foudre se deram quando viu por momentos a sua imagem no espelho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo24.6.14

      Boa Mariana :))

      Eliminar
  5. "Para amar uma mulher, mais que tentar conquistá-la,
    há de ser conquistado… todo tomado e, com um pouco de sorte, também ser
    amado!"
    Drummond de Andrade

    ResponderEliminar
  6. "Para amar uma mulher, mais que tentar conquistá-la,
    há de ser conquistado… todo tomado e, com um pouco de sorte, também ser
    amado!"
    Drummond de Andrade

    Querer sem reservas é a essência da vida.

    ResponderEliminar
  7. Só assim faz sentido viver. Com o coração a bater forte.

    ResponderEliminar
  8. Pois devíamos, mas não era a mesma coisa!

    ResponderEliminar
  9. Sem defesas... querem ver que me enganei e que deveria estar a comentar o post anterior ??

    ResponderEliminar
  10. Sorte a sua, a mim só me acontecem trompe-"d" 'oeil.
    A cada um o galicismo que merece.

    ResponderEliminar
  11. Cláudia24.6.14

    Isso mesmo, quem nunca experimentou nada assim nunca soube o que é estar-se verdadeiramente vivo e quem aqui estranhou a quantidade, é porque nunca soube o que é aquilo que o Pipoco descreveu, viveram coisas parecidas, mas não AQUILO, também eu já tive o meu, sim, foi só uma vez e soube-me pela vida. ( E já agora, para quem disse, que podíamos mas não era a mesma coisa, tenho a dizer que realmente não, não é a mesma coisa, é de facto muito melhor que qualquer mesma coisa :))

    ResponderEliminar
  12. O pior é o "aprés le coup de foudre"!

    ResponderEliminar
  13. "O pior é o "aprés le coup de foudre"!"
    Bem verdade...ainda assim, quero um :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia25.6.14

      Espero que tenha um, porque um coup de foudre é uma urgência maravilhosa, é portanto um maintenant, é mesmo deslumbrar-mo-nos sem resistência e no aprés vai pensar,ainda bem que eu vivi isto, afinal não acontece só nos filmes.

      Eliminar
  14. Também acho que sim. O ideal é que isso se processe sem danos de maior e passe rápido.

    ResponderEliminar
  15. Anónimo26.6.14

    Oh tio pipoco, isso é ser um bocadinho ingénuo...coup de foudre para TODOS?!....não,,, é melhor não....

    ResponderEliminar
  16. Gostava de ter sido eu a escrever isto. Parabéns!

    ResponderEliminar
  17. Anónimo29.6.14

    Já tive un coup de foudre, o problema é não manter a chama acesa dentro de nós, com a pouca experiência dos meus 28 anos, prefiro que me conquistem devagar, com tempo, sem mesmo que me dê conta disso...
    Lane

    ResponderEliminar