02 março 2014

A importância de se chamar Ernesto

Ulisses, o cão, esteve a isto (dedos indicador e polegar a um milímetro de distância) de se chamar Valeta, da mesma forma que as Marias da Natividade indiciam que a proprietária nasceu por alturas do Natal ou as Maria das Dores nos contam que a mãe não foi a tempo da epidural, Valeta seria um nome apropriado para este cão, que há-de ser enorme, felizmente eu sou um indivíduo atento a estas problemáticas e sei tudo o que há para saber da psicologia dos nomes de cão e evitei-lhe um ferrete para a vida, todos os Snoopys, Pilotos e Pupis do sítio onde eu moro haviam de comentar entre si, em voz baixa, que era Valeta porque tinha sido resgatado de uma valeta, por isso se chamava Valeta, todos os cães a acenar que sim, que fazia sentido, bendita hora em que o baptizei Ulisses, trauma por trauma é trauma meu e assim, de cada vez que lhe levar ração, sempre me lembro de ler mais uma página ou duas daquilo.

16 comentários:

  1. Mas também lhe digo... Antes lembrar-se de ler de duas ou três páginas daquilo sempre que alimenta o bicho, que lembrar-se de alimentar aquilo sempre que lê duas ou três páginas do livro... Não sei, digo eu.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo2.3.14

    Mas afinal, no final, não passamos de mnemónicas, pois não?
    Stat rosa pristina nomine, nomina nuda tenemus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo3.3.14

      O Nome da Rosa ?

      Eliminar
  3. Ainda bem que não me chamo Dores , Natividade, e muito menos Jesus, senão tinha missa cantada por se pôr a divagar sobre nomes...;) .

    Ulises foi uma excelente escolha e sempre que o Pipoco lhe levar ração, vá -nos contado a odisseia...vai ter muitas e boas histórias para contar!

    ResponderEliminar
  4. Filme adoravel (e expressão que uso muitas e muitas vezes)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo2.3.14

      A peça, a peça!

      Eliminar
  5. Caramba… temos doggy-blog… :p

    ResponderEliminar
  6. É pá, dizer mal de Clássicos como a Odisseia, e por arrasto de Homero, devia dar direito a chicotada! Tau tau no menino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo3.3.14

      É um clásico e uma odisseia, mas o Ulysses do tio é o do Joyce.

      Eliminar
    2. Lol...ah deve ser defeito de quem anda no meio dos Clássicos. Oiço Ulisses e tranporto-me logo para a mitologia Romana :-) Assim, já está perdoadinho!

      Eliminar
    3. Anónimo3.3.14

      não esquecer a grega....

      Eliminar
    4. Na grega é Odisseu...Ulisses é na romana.

      Eliminar
  7. Anónimo3.3.14

    Há um cão que se chama Pupi? A sério?

    ResponderEliminar
  8. Anónimo3.3.14

    O seu (a sua ) Valletta teria dois éles e dois tês,mas ainda bem que é Ulisses.
    Tem petit nom ? (eheheeh, aposto que tem...)

    ResponderEliminar
  9. Pode bem dar-se o caso de que evitar o nome valeta ao seu cão seja a maior utilidade da grande obra de Joyce.

    ResponderEliminar
  10. Tu tem cuidado Pipoco. Ou o teu cão cresce ou então pode bem acontecer-lhe o mesmo que aconteceu ao probre caniche desta história:
    http://a-uva-passa.blogspot.pt/2014/03/a-historia-do-cao.html

    ResponderEliminar