27 novembro 2013

Enquanto dormias

Não é difícil levar as pessoas a fazer o que desejamos e, ao mesmo tempo, fazê-las acreditar que a decisão final foi delas. As mulheres divertem-se a acreditar que fazem isso com os homens, mas quem o faz na perfeição são os tipos dos restaurantes, que sabem que, querendo despachar garrafas de Dão de vinte euros, basta-lhes ter na carta de vinhos um tinto do Dão a oito euros e outro, da mesma gama, a quarenta euros. Quem acha que escolhe, nunca escolhe o vinho mais barato, parece pouco sofisticado, e acha bizarra a relação preço-qualidade do vinho de quarenta, uma oferta bizarra, tão sem valor que ninguém percebe que só está ali para evidenciar o valor da outra, a que querem que compremos. E compramos.

7 comentários:

  1. acho que já não há muitas mulheres com essa ilusão ou vontade, dá demasiado trabalho e uma decisão em conjunto sabe francamente melhor. mesmo que, à primeira vista, o valor esteja em convencer alguém da sua própria opinião e não em concordar verdadeiramente ou discordar simplesmente. como o dão de 8 euros e o outro igual mas com um valor especulado.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo27.11.13

    ....metáforas...a nossa vida é só metáforas ! !

    ResponderEliminar
  3. Oh meu Senhor, se essa equação se aplicasse só à escolha entre dois vinhos numa carta dum restaurante snob.chic, seríamos nós, os outros, tão, mas tão felizes !!

    ResponderEliminar
  4. Humm, isto parece-me manipulação. Não gosto.

    E também me parece que pessoas que se deixam influenciar desta forma, não são pessoas muito interessantes. Viver de aparências também não me inspira, aquela coisa de "parece pouco sofisticado". Ou seja, se quero comprar hoje um vinho de vinte euros, compro. Amanhã se estiver voltada para o de oito euros, compro. O de quarenta talvez seja melhor comprar lá pelo Natal... a malta anda pobre que dói.

    Portanto, venham de lá os tipos dos restaurantes! Quantos são eles? ahahah. Peço desculpa, retiro o ahahah. Isto é um blogue snob-chic e temos de respeitar o dono da casa.

    ResponderEliminar
  5. Eh eh eh eh, lá está o meu caro a provocar as suas leitoras e a colocar em prática o objecto do post. É irresistível.

    Água. Sempre elegante, insinua uma certa preocupação narcisista com o corpo e, mais indirectamente, com o desempenho, além de uma pungente simplicidade quase estóica. Mas também me dizem que pouco percebo destas e de outras coisas.

    ResponderEliminar
  6. Huumm... Então é isso.
    Achava eu que era uma escolha minha. Raios.

    ResponderEliminar