14 novembro 2013

Como na rádio

E lá estava eu na conferência sobre coisas importantes, e lá estava uma voz de mulher a fazer perguntas ao orador quando foi o tempo de fazer perguntas, com a voz mais doce, mais absolutamente límpida e mais sensual que já me foi dado ouvir, e lá estava eu, resistindo olhar para trás, uma mulher com uma voz assim tem que ficar registada no nosso imaginário como a mulher mais bela do mundo e ontem não era dia de destruir imaginários.

6 comentários:

  1. Anónimo14.11.13

    Faz parte da partilha deste momento de rara beleza, saber se as perguntas que ela fazia ao orador das coisas importantes eram pertinentes, inteligentes ou interessantes, ou se, como decerto aconteceu, não ouviu um único conteudo. Aqui se cruzam as linhas da história.

    ResponderEliminar
  2. Uma excelente blogger fez uma grande publicação sobre "O Capuchinho Vermelho", que cai aqui que nem uma luva: "que grandes orelhas que tem, Senhor... " " São para te ouvir melhor..."

    ResponderEliminar
  3. Anónimo14.11.13

    Nada me acalma mais do que a tua alma perto da minha e a tua voz nas minhas costas

    ResponderEliminar
  4. Há vozes tão bonitas, não há? Sou uma grande apreciadora de vozes. Já de nozes não gosto nada. Curiosamente, de um modo geral, as vozes mais bonitas estão nas piores embalagens. Já as nozes costumam vir em saquinhos de serapilheira lindos que só visto. Enfim, uma maçada. Tudo uma maçada!

    ResponderEliminar
  5. Queixo-me do mesmo mal. Quando adormeço nas conferências sonho que estou no paraíso.

    ResponderEliminar
  6. ... quando o meu caro começar a encarar esta coisa das relações como uma transacção comercial a desilusão desaparece e o regabofe ganha qualidade.

    ResponderEliminar