09 janeiro 2013

What happens in Vila Viçosa stays in Vila Viçosa

Em se descendo da pousada, o paço nas nossas costas, mantendo-nos com o muro à nossa mão direita, passando a rua que vai dar ao Núcleo Sportinguista de Vila Viçosa, havemos de encontrar a Taverna dos Conjurados, por mim ficava a ouvir uma noite inteira o bom Manuel explicar-me como se diferencia um enchido de porco preto alimentado no montado e outro alimentado a farinha, enquanto me faz pensar porque será que o cação, peixe de um mar lá tão longe, aparece na sopa alentejana, tudo isto regado com um tinto lá da produção dele, ficava a ouvi-lo ensinar-me os pequenos pormenores da cozinha conventual enquanto me explica onde se compra bom pão alentejano que é capaz de acompanhar amanhã, a muitos quilómetros daqui, um queijo de cabra e vinho do Dão, mas não, é hora de acabar a aguardente velha e seguir viagem, que a minha vida não é isto.

8 comentários:

  1. Carmo9.1.13

    Por momentos pensei que estava a ler algo escrito pelo meu pai.

    Sim, sou adepta do sushi e dos sumos verdes, mas isso não faz de mim uma mulher de mau gosto gastronómico :), mas é verdade que prefiro alimentos crus a cozinhados desde há uns tempos para cá.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo9.1.13

    Sou vegetariana... só posso falar de enchidos de soja.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo9.1.13

    Não estou a ver quem seja o Manuel...

    ResponderEliminar
  4. Vinhos à parte, fiquei com água na boca... É que a seguir á quintessência da gastronomia que é o queijo em geral, o Serra amanteigado em particular, o pão alentejano e a broa de milho são o que de melhor as minhas papilas hão-de levar desta vida....

    ResponderEliminar
  5. Anónimo10.1.13

    Oh Pipoco... agora é que o diz! Fiquei a pensar, com o post anterior, que a Taverna também era no Alandroal, nem procurei em Vila Viçosa.
    Caramba!
    Aproveito para lhe dizer que sim , o passeio é uma delícia, embora o Guia do Paço seja medíocre.

    Para dormir, se algum dia quiser abdicar da Pousada, aproveite para conhecer a Dona Maria do Carmo. Diga-lhe que vai da minha parte.
    http://www.monte-rosada.pt/index2.html

    Um beijinho,
    Bom Ano
    AnaB


    ResponderEliminar
  6. É, de facto, um fenómeno curioso: O cação (uma espécie de tubarão), sendo um peixe de água salgada, não tem qualquer expressão na gastronomia do Litoral Alentejano. É, no interior, especialmente no Alto Alentejo, que é devidamente valorizado e apreciado.

    ResponderEliminar
  7. Quem é falou em cação ? Foi na Pousada de Serpa á tantos anos e ainda sinto o gosto e o cheiro daquele panito alentejano mergulhado no caldinho..

    ResponderEliminar