03 maio 2012

Eu ainda sou do tempo...

11 comentários:

  1. zorro, contra o photoshop3.5.12

    Também sou. Felizes tempos em que a beleza feminina era verdadeiramente apreciada sem recurso ao photoshop.
    Daí uma beleza emergir sempre das demais

    ResponderEliminar
  2. Opá, que coisa mais sem graça! As sombras estão todas certas, não há filtros de qualidade, vê-se a pele da senhora com toda a sua naturalidade, esses olhos podiam levar um tratamentosinho de remoção de manchas e ficava tudo mais uniformizado... epá tanta coisa que podia ser feita... que imagem mais "turn off" que falta de artificialidade, a sério que não compreendo como vocês eram capazes de jogar bilhar de bolso com coisas destas... enfim...

    ResponderEliminar
  3. Isto sim, eram produções.

    ResponderEliminar
  4. Oh... que ultraje!!

    ResponderEliminar
  5. O Ruben Patrick anda a ler o blog da Jiboia?

    ResponderEliminar
  6. Doroteia3.5.12

    Esta também já descobriu isto?
    Pronto, está visto que o tempo dá-lhe para tudo
    (*)

    ResponderEliminar
  7. em que as mulheres tinham maminhas?

    ResponderEliminar
  8. Leio sempre, Jibóia.

    (rebuscando os registos arqueológicos do Tio Pipoco, podemos observar esta rubrica por alturas da primeira temporada...)

    ResponderEliminar
  9. Quando a Playboy chegou a Portugal disseram-me que, na capa, teríamos uma espécie de "girl next door" ...e aquilo durou quantos números? Entretanto voltou mas, sinceramente, quem é que neste País se atreveria a fazer "produções" como aquela que pôs aqui? Sim que no Brasil posar para a Playboy é um estatuto e pago a peso de ouro agora em Portugal? Nãaaaaaaaa mas bolas preferia ver outra vez a Claúdia Jacques à insípida da Rita "estrábica" Pereira ...

    ResponderEliminar
  10. Ruben, mea culpa, mea culpa.

    ResponderEliminar