14 outubro 2010

Breve teorização sobre o facto de me ter vagamente apercebido da existência de umas pessoas que não têm pudor em exibir a sua falta de gosto

Nós, os bloggers brilhantes, possuidores de um je ne sais quoi que nos transforma em líderes espirituais de massas, sabemos que a nossa palavra é escutada atentamente e que os nossos conselhos são apreciados e colocados em prática imediatamente.

Uma forma de validarmos o nosso sucesso enquanto fazedores de opinião é sermos citados em blogs que se destinam a interpretar a nossa palavra sábia e a dar o passo seguinte, que é teorizar sobre as nossas orientações sexuais, a nossa vida afeciva e demais pormenores das nossas vidas pessoais. Esta atenção que sobre nós recai aumenta-nos a responsabilidade e coloca as luzes ainda mais em cima das nossas singelas personas, dá-nos tempo de atenção e, em última análise, engrossa o número dos que já não podem viver sem uma palavra nossa, os que bebem do nosso verbo fácil.

Neste contexto, é inquestionavelmente relevante o papel destes blogs interpretativos da nossa mensagem, para além da já referenciada validação do nosso papel na educação da sociedade, uma vez que, é bom de ver, os bloggers com menor protagonismo no avanço civilizacional não rendem tanto enquanto objecto de citação.

O nosso papel é sorrir, magnânimos, sempre sem retorquir, esperando que a ausência da nossa reacção potencie o efeito de lenda e que seja transformado em mito urbano esse tema tão determinante para a evolução do género que é discussão sobre a quantidade e a qualidade das nossas parceiras sexuais.

(e, já agora, esperar que as nossas amigas blogosféricas, sempre prontas a defender-nos com todas as suas forças, sempre esforçadas em que o mundo dê por elas, sempre sedentas de se alinharem na defesa de causas justas, não estraguem a coisa indo comentar em nosso nome...)

7 comentários:

  1. Dos meus problemas enquanto mulher: não sei se é melhor fundar um Clube de Fãs ou nomear as Testemunhas do Pipoco. Quem sabe até uma sociedade secreta onde existam cavaleiros/as em busca do Santo Amido! Estou indecisa.

    ResponderEliminar
  2. Pipoco. Eba. Brilhante dissertação. Descreva-me por favor o que é um blog digno de citações alheias. Para além do seu, obviamente!
    Sua fã, sempre!

    ResponderEliminar
  3. Ah. E mais. O que mais aprecio no seu blog é essa confiança mascarada, esse pedantismo a fingir, esse humor requintado. Fora de ironias! Cria forte curiosidade em conhece-lo em carne e osso... :)

    ResponderEliminar
  4. Salvé Magnânime e Iluminado Pipoco!

    ResponderEliminar
  5. Um blogger verdadeiramente snob chic nunca é vítima de blogobllying. Quando muito, apercebe-se da existência de umas pessoas que não têm pudor em exibir a sua falta de gosto.

    ResponderEliminar
  6. Tens um problema... escreves um blog só para o público feminino. Fazes por isso. Só te interessas por isso.

    Sobressai e denota-se uma insegurança em ti. Tentas demasiado a agraciação feminina.

    Poderá ser ego, poderá ser a dita insegurança, poderá ser um teste pela aceitação. Mas tenta-lo diariamente. Fazes por isso a cada postagem que escreves.

    Não te interessas pelo universo de leitores, pelo discurso unissexo. Não. Tu escreves propositadamente para a atenção feminina. Em todos os posts.

    ResponderEliminar