13 agosto 2010

É por isso que não quero conhecer quem escreve nos blogs ali do lado (com duas excepções, evidentemente...)

Isto é como na telefonia, ouvimos as vozes, quem não estudou ao som do Oceano Pacífico?, ouvia-se o João Chaves, aquela voz calma, pausada, imaginava-se um homem alto, bem-parecido, escutava-se o Passageiro da Noite, com o Fernando Alves, o silêncio às vezes era cortado pelo acender do isqueiro, imaginávamos um Zippo, aquele era o som de um Zippo, era o tempo em que se podia fumar em estúdio, a Olga Cardoso só podia ser uma mulher mal chegada aos trinta anos, não podia ter mais, aquela gargalhada não enganava, afinal veio um concurso da TVI e ela já podia ser avó, o António Macedo, a surpresa que tive quando vi o António Macedo mais os seus óculos muito graduados e aquele cabelo demasiado comprido num concurso do Carlos Cruz.

23 comentários:

  1. O que acontecerá quando todas as meninas vidradas no "The Artist
    Formerly Known As Pipoco Mais Salgado" descobrirem que na realidade nem homem é, mas uma lésbica assanhada com vários processos em tribunal por se fazer passar por macho...
    Algumas mais contentes ficarão...

    ResponderEliminar
  2. pois eu acho que este teu post poderá ser interpretado à luz da psicologia. Talvez cries altas expectativas relativamente a quem está do outro lado e tenhas medo de te sentires defraudado. e talvez até nem te apercebas disso, mas creio que de uma forma inconsciente também tens medo que o oposto aconteça e de defraudar alguém ao não corresponderes às expectativas de quem te lê.
    Essa tua perspectiva pode mostrar uma certa insegurança relativamente à tua pessoa, uma auto-estima que ora existe ora não. Claro está que isto é só uma teoria de alguém cuja formação não é nas ciencias humanas mas que ainda assim, ao longo do seu percurso de construção enquanto pessoa, conheceu muita gente e descobriu que somos todos iguais, sobretudo nos pequenos medos!

    ResponderEliminar
  3. Risos... e lá se vai o encanto... ;)

    ResponderEliminar
  4. Isto aqui é repto para tentarmos adivinhar quem é, não é? Ok, eu embarco.

    Mak e Capitão Microondas.

    [não há risco de decepção, não é? ou outros]

    :)

    ResponderEliminar
  5. Cara Cinderela:
    Eu que conheço este Pipoco, asseguro-lhe que não é nada disso que afirma.
    Isto é mais uma faceta dele, só para por as meninas a pensar "Serei eu? Sou eu, não sou? Só posso ser eu!"

    ResponderEliminar
  6. Não querer conhecer é uma decisão sensata. Eu já tive muita vontade de conhecer algumas pessoas que me lêem e me escrevem. Só não resisti ao impulso num caso, pois o magnetismo era irresistível: Mak o Mau. Não foi mau (sem chalaça), um homem interessante, até delicado. Foi quando me surgiu apenas de boxers com dizeres (I'm your burrito bitch) e com aquele chapéu western de gosto discutível que comecei a pensar que conhecê-lo teria sido um move mal pensado.

    ResponderEliminar
  7. Mak, o Mau é um tipo delicado?

    (lá se foi o último dos mitos urbanos...)

    ResponderEliminar
  8. Digamos que poderás ter surpresas fantásticas (algumas são das minhas melhores amigas ainda hoje) e desilusões atrozes. Acontece em todo o lado (mas isso não será novidade, pois não?). Há 3 anos atrás, numa pseudo-reflexão que fiz sobre para que serviria o meu blog da altura, incluí este parágrafo:
    "À conta de ter um blog, conheci algumas pessoas, todas elas com blog. Nem todas são o que apregoam ser mas, e como muito bem escreveu o Melões no seu post, “E se metade do que leio é mentira, também será metade do que ouço.”; ou seja, ninguém está livre de ser desagradavelmente surpreendido, não necessita de ser através da net que vem a facada. Os maiores desgostos que tive foram com pessoas de carne e osso que pensava conhecer... if you know what I mean... "
    Ou seja, era mesmo fixe a escrever lapalissadas! Eu e a Lili Caneças...

    ResponderEliminar
  9. A beleza dos blogs é precisamente a mistica...
    o facto de imaginarmos e sabermos que nos imaginam...

    Para coisas reais e imutáveis, já nos chega a vida.

    ResponderEliminar
  10. Pois. É verdade. E depois há aqueles com quem falamos pelo telefone e por quem não damos dois tostões furados, e que quando um dia nos aparecem à frente, nos deixam sem respiração.

    ResponderEliminar
  11. O que a Maria Fonseca diz é verdade. A mim aconteceu-me quando conheci o AFKAPMS. Até precisei da bomba bomba da asma, mas depois fiquei bem.

    ResponderEliminar
  12. E o que eu gostava de ouvir o Fernando Alves no passageiro da noite e apesar de ter consciência que uma voz é únicamente uma voz e que nada tem a ver com a imagem, há sempre tendência para tentarmos criar uma imagem em torno dela e depois... qdo o vi com o Herman no concurso com a verdade me enganas, foi uma desilusão :S

    ResponderEliminar
  13. Anónimo13.8.10

    Porque criam essas expectativas todas? Que trabalheira.

    Não pensem nada. Não façam juízos. Não sejam preconceituosos. Os outros são como nós: com coisas boas e coisas menos boas. Uns agradam-nos, outros nem por isso; da mesma forma que agradamos a uns e a outros nem por lá perto.

    Complicadinhos que vocês são.

    ResponderEliminar
  14. Nem eu, meu caro, nem eu. Sem lugar sequer para duas excepções. É o chamado se assim é bom, deixemo-nos estar. Sem lugar a invasões ou curiosidades inconvenientes. Um blogue mais não é do que um caderno de apontamentos que permitimos que outros leiam. Nem mais, nem menos. Tão só.

    ResponderEliminar
  15. O Tafka não se preocupe. No meu imaginário você é feio que nem um trovão... desta forma não há lugar para qualquer tipo de desilusão.

    ResponderEliminar
  16. Aborrece-me mais a possibilidade de me roubarem um rim do que de serem feios...

    ResponderEliminar
  17. mas nem que eu quisesse muito. já viu o preço das passagens?

    (cabe lembrar que 1 euro vale aproximadamente 3 reais)

    ResponderEliminar
  18. Ok, eu e outra excepção, caro Pipoco, vamos falar sem rodeios.

    Quanto ao Capitão, foi sem dúvida um encontro ribombante. Apesar de eu ter escolhido uma indumentária que pensei que o iria fazer fugir a sete pés, o graduado do Microondas surpreendeu-me.


    Vestido chiffon laranja eléctrico de cauda (atenção que a cauda não era a do vestido, mas sim uma de leopardo que trazia por baixo) e uma tiara com néon a dizer "Kiss me where it smells funny", não era bem o Capitão que estava à espera.

    Mas, creio que ele marcou o encontro no cacilheiro para que nenhum dos dois tivesse hipótese de fugir, apesar da ideia de saltar borda fora ainda me ter ocorrido....

    ResponderEliminar
  19. Anónimo17.8.10

    Tshiiiii...
    não concordo nada!!
    Após o choque inicial, que durou 3 segundos,
    continuo a gostar muito do Pedro Ribeiro e do Nuno Markl.
    E a idolatrar o Carlos Vaz Marques.
    Bj
    Ana

    ResponderEliminar